sicnot

Perfil

Mundo

Ataque a hotel na Tunísia faz 27 mortos

Em desenvolvimento

Um grupo armado disparou indiscriminadamente sobre os turistas em Sousse. As últimas informações dão conta de 27 mortos e um atirador abatido. 

Segundo o porta-voz do Ministério do Interior, Mohamed Ali Aroui, tratou-se de "um ataque terrorista" contra o hotel International Marhaba, em Sousse".

Segundo uma rádio local, que cita fontes da segurança, homens armados entraram na praia e no 'lobby' do hotel abrindo fogo indiscriminadamente contra as pessoas que ali estavam.

A televisão estatal tunisina diz que dois atiradores abriram fogo na praia perto de dois hotéis na cidade balnear de Sousse. Um dos atiradores foi abatido, o outro fugiu.

A Tunísia tem estado em alerta máximo depois de um ataque ao Museu Nacional do Bardo, em Tunes, a capital do país. 

Na altura, morreram mais de 20 pessoas e quase 40 ficaram feridas.
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41