sicnot

Perfil

Mundo

Atirador do atentado na Tunísia era um estudante desconhecido da polícia

O atirador do atentado de hoje contra um hotel na zona turística de Sousse, na costa oriental da Tunísia, morto pela polícia, era um estudante desconhecido das autoridades, segundo fonte oficial tunisina. 

Polícia tunisina com um suspeitos dos ataques em Sousse.

Polícia tunisina com um suspeitos dos ataques em Sousse.

Med amine ben aziza/EPA

"Ele é tunisino, natural da região de Kairouan (centro). É um estudante", disse o secretário de Estado da Segurança, Rafik Chelly, a uma rádio tunisina.

"Esta pessoa não era conhecida" das autoridades, acrescentou.

"Entrou pela praia, vestido como um banhista e com um guarda-sol dentro do qual estava uma metralhadora", disse Chelly.

O responsável disse ainda que, de acordo com os primeiros elementos da polícia, o ataque foi cometido por um único atirador.

Pelo menos 27 pessoas, entre as quais turistas estrangeiros, foram mortas hoje quando um homem armado abriu fogo indiscriminadamente no hotel International Marhaba, na estância turística de Sousse, cerca de 140 quilómetros a sul de Tunes.

O atacante foi morto pela polícia no local.


Lusa
  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.