sicnot

Perfil

Mundo

Decapitado em ataque de Lyon era patrão do suspeito

O homem decapitado no atentado de hoje contra uma fábrica de gás industrial perto de Lyon, leste de França, era patrão do presumível autor do ataque, já detido, segundo fonte próxima da investigação citada pela agência France Presse.

© Emmanuel Foudrot / Reuters

A cabeça da vítima, dono de uma empresa da região, foi colocada numa das grades exteriores da fábrica, propriedade do grupo norte-americano Air Products, localizada em Saint-Quentin-Fallavier.  

Segundo os primeiros dados da investigação, a vítima, de cerca de 45 anos, geria uma empresa de transportes dos arredores de Lyon e tinha uma autorização de trânsito para entrar nas instalações da fábrica. 

Segundo a fonte, imagens de uma câmara de vigilância permitiram ver que a cabeça foi colocada pelo presumível autor do ataque, Yassin Salhi, 35 anos, antes de conduzir o veículo contra garrafas de gás para provocar uma explosão. 

Uma das primeiras equipas de emergência a chegar ao local ouviu Salhi gritar "Alá é grande", segundo a fonte.

Foi essa equipa, de bombeiros, que conseguiu dominar o suspeito até à chegada da polícia. 

O suspeito não tem antecedentes criminais, mas estava referenciado pela polícia por radicalização salafista.

A mulher de Yassin Salhi foi detida na residência da família, em Saint-Priest, arredores de Lyon. Antes de ser detida, a mulher disse à rádio Europe 1 estar "surpreendida" com o ocorrido e assegurou que são "muçulmanos normais".

Os vizinhos do casal, que tem três filhos entre os 6 e os 9 anos, disseram à imprensa que Salhi era "um homem discreto" e a família "perfeitamente normal".

Um jovem vizinho disse por seu lado "nunca ter visto" Salhi na mesquita de Saint-Priest.


Lusa
  • Presidente francês fala em "ataque terrorista" em Lyon
    0:49

    Mundo

    O chefe de Estado francês interrompeu os trabalhos em Bruxelas para regressar ao Eliseu de urgência devido ao atentado em Lyon. François Hollande admite a existência de pelo menos um cúmplice e diz que não há dúvidas acerca da natureza terrorista do ataque.

  • Suspeito detido em Lyon estava referenciado por ligações ao Estado Islâmico
    1:02

    Mundo

    O suspeito detido pelas autoridades francesas após o ataque em Lyon não tem cadastro mas já estava referenciado plos serviços secretos por possíveis ligações ao chamado Estado Islâmico. O ministro do Interior francês confirma que foi aberta uma investigação antiterrorista mas avisa que é importante não serem tiradas conclusões precipitadas.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC