sicnot

Perfil

Mundo

Espanha e Itália elevam nível de alerta antiterrorista

A Espanha e a Itália elevaram esta sexta-feira os níveis de alerta antiterrorista, na sequência dos atentados em França, na Tunísia e no Kuwait. 

Em França, uma cabeça decapitada com inscrições em árabe foi encontrada numa fábrica de gás industrial perto de Lyon (leste) depois de um atacante ter conduzido um veículo a alta velocidade contra garrafas de gás, provocando uma explosão. O atacante sobreviveu e foi detido.

Em França, uma cabeça decapitada com inscrições em árabe foi encontrada numa fábrica de gás industrial perto de Lyon (leste) depois de um atacante ter conduzido um veículo a alta velocidade contra garrafas de gás, provocando uma explosão. O atacante sobreviveu e foi detido.

© Emmanuel Foudrot / Reuters

Em Madrid, o Ministério do Interior elevou o nível de alerta de "médio" para "alto". 

"Considerando a proximidade do nosso país dos países onde alguns destes ataques ocorreram, foi proposto elevar o nível de alerta antiterrorista" do terceiro para o quarto de cinco níveis, o que significa um risco alto de atentado, disse o ministro do Interior espanhol, Jorge Fernandez Díaz, em conferência de imprensa. 

"Este aumento implica um reforço da vigilância de objetivos suscetíveis e de infraestruturas críticas", acrescentou.

Em Itália, o ministro do Interior, Angelino Alfano, anunciou igualmente a decisão de aumentar o alerta antiterrorista, sem contudo indicar o nível. 

"Não há nenhum país com risco zero, por isso decidimos elevar o nível de alerta", disse Alfano à imprensa durante uma visita a Milão (norte). 

Os dois anúncios foram feitos horas depois de três ataques terroristas. 

Em França, uma cabeça decapitada com inscrições em árabe foi encontrada numa fábrica de gás industrial perto de Lyon (leste) depois de um atacante ter conduzido um veículo a alta velocidade contra garrafas de gás, provocando uma explosão. O atacante sobreviveu e foi detido.

Na Tunísia, um atirador vestido como um turista atacou um hotel na estância turística de Sousse, na costa oriental, matando pelo menos 27 pessoas, entre as quais turistas, antes de ser morto pela polícia.

No Kuwait, um bombista suicida fez-se explodir dentro de uma mesquita xiita na capital do país durante a oração do meio-dia matando pelo menos 25 pessoas. O ataque foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.
Lusa
  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC