sicnot

Perfil

Mundo

Japonesa espancou marido até à morte após casamento de 51 anos e não fica presa

Uma japonesa de 71 anos, julgada na quinta-feira por ter espancado o marido até à morte após conhecer detalhes das traições cometidas por este, ficou livre de cumprir prisão efetiva, noticiou esta sexta-feira o jornal Asahi Shimbun.  

Os casos de abuso e violência sobre idosos, especialmente os que envolvem algum tipo de demência, veem demonstrando um rápido crescimento no país. (Arquivo)

Os casos de abuso e violência sobre idosos, especialmente os que envolvem algum tipo de demência, veem demonstrando um rápido crescimento no país. (Arquivo)

© Reuters Staff / Reuters

Durante o julgamento a mulher disse ter sofrido uma grande frustração porque nos últimos tempos de vida em comum, o marido, de 79 anos, contara-lhe pormenores das infidelidades que cometeu em 1979, com uma mulher mais nova.

"Isso era tudo o que eu não tinha necessidade de saber", disse a mulher, citada pelo jornal.

O elevado estado de tensão em que se encontrava, acrescentou, resultava também de ter tratado do marido, convalescente de uma cirurgia a um cancro no estômago, que exigia cuidados continuados. 

Casada desde os 20 anos, a mulher disse nunca ter cometido qualquer infidelidade embora soubesse das traições de longa data do marido, mas justificou nunca o ter confrontado para poupar os filhos a uma relação conflituosa.

A morte do marido ocorreu o ano passado, dias depois de a mulher lhe ter batido repetidamente na cabeça e no rosto.

Os juízes decidiram condenar a mulher a uma pena de três anos, suspensa por outros cinco, devido ao arrependimento demonstrado durante o julgamento, uma decisão vista como rara para um caso de homicídio no Japão.

Os casos de abuso e violência sobre idosos, especialmente os que envolvem algum tipo de demência, veem demonstrando um rápido crescimento no país.

De acordo com uma sondagem feita em 2013, pelo Ministério da Saúde japonês, 15.731 idosos, com 65 anos ou mais, sofreram abusos ou maus tratos cometidos por familiares.     
Lusa
  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.