sicnot

Perfil

Mundo

Novo balanço dá conta de 37 mortos e 36 feridos no ataque da Tunísia

Pelo menos 37 pessoas morreram e 36 ficaram feridas, na sua maioria turistas, quando um homem armado abriu fogo indiscriminadamente num resort hoteleiro na Tunísia, de acordo com um novo balanço do Ministério da Saúde tunisino. 

Hassene Dridi

"Há 37 mortos e 36 feridos. Alguns dos feridos estão em estado crítico", declarou um porta-voz do ministério, Chokri Nafti, atualizando o anterior balanço, que era de 28 mortos, incluindo o atirador (abatido pela polícia). 

Nafti escusou-se a especificar as nacionalidades das vítimas, mas anteriormente o porta-voz do Ministério do Interior, Mohamed Ali Aroui, falou em vários turistas estrangeiros.

Entretanto, a administração do grupo que detém do hotel onde ocorreu o ataque, o Riu Imperial Marhaba Hotel, salientou que a maioria dos seus 565 hóspedes provém do Reino Unido e de países da Europa Central.

"A maioria dos hóspedes é do Reino Unido e de outros países do Centro da Europa. No entanto, não nos é possível de momento confirmar as nacionalidades nem outros pormenores sobre as vítimas", indicou em comunicado o grupo espanhol RIU.

"As autoridades tunisinas continuam a trabalhar na área e os hóspedes estão a ser atendidos. A informação sobre o ataque no Riu Imperial Marhaba Hotel é ainda muito limitada", acrescentou o grupo na mesma nota.

Quando o ataque aconteceu, salientou o grupo RIU, "a taxa de ocupação do hotel era de 77%, com 565 hóspedes".

O grupo espanhol RIU detém e gere 10 hotéis na Tunísia, incluindo o Marhaba na localidade de Sousse.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Irlanda, Charles Flanagan, confirmou hoje que uma mulher irlandesa morreu no ataque.

Lusa
  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.