sicnot

Perfil

Mundo

Autor confesso de atentado em França nega motivos religiosos

O autor confesso do crime da passada sexta-feira no leste de França, Yassin Salhi, negou ter agido por razões religiosas, indicaram fontes próximas da investigação citadas pela imprensa local.

Salhi, de 35 anos e pai de três filhos, de cara coberta na imagem, confessou ter decapitado na sexta-feira o seu patrão na fábrica de embalagens onde trabalhava há vários meses e, posteriormente, ter tentado fazer explodir uma fábrica de material químico na localidade de Saint-Quentin-Fallavier, a poucos quilómetros de Lyon, terceira cidade de França.

Salhi, de 35 anos e pai de três filhos, de cara coberta na imagem, confessou ter decapitado na sexta-feira o seu patrão na fábrica de embalagens onde trabalhava há vários meses e, posteriormente, ter tentado fazer explodir uma fábrica de material químico na localidade de Saint-Quentin-Fallavier, a poucos quilómetros de Lyon, terceira cidade de França.

© Emmanuel Foudrot / Reuters

Desde domingo submetido a interrogatório nas instalações da polícia antiterrorista, nos arredores de Paris, para onde foi transferido de Lyon, o suspeito assegurou aos investigadores que cometeu o assassínio após uma discussão que tivera alguns dias antes com o seu chefe, segundo a rádio France Info.

Salhi, de 35 anos e pai de três filhos, confessou ter decapitado na sexta-feira o seu patrão na fábrica de embalagens onde trabalhava há vários meses e, posteriormente, ter tentado fazer explodir uma fábrica de material químico na localidade de Saint-Quentin-Fallavier, a poucos quilómetros de Lyon, terceira cidade de França.

Os agentes interrogam-se quanto a um possível móbil radical islâmico do crime, que o suspeito nega, indicou a rádio.

No entanto, depois de decapitar o chefe, colocou a cabeça deste numa vedação da empresa que tentava fazer explodir e rodeou-a de bandeirolas com inscrições muçulmanas.

Além disso, tirou uma 'selfie' com a cabeça e enviou-a um cidadão francês que se encontra na Síria e que a polícia francesa considera responsável por uma célula de recrutamento de voluntários para o grupo extremista Estado Islâmico (EI) nesse país.

Segundo diversos meios de comunicação social, Salhi gritou também "Alá é grande" em árabe quando foi agarrado por um bombeiro no momento em que abria garrafas de acetona para fazer explodir a fábrica.

Finalmente, de acordo com a estação televisiva BFMTV, durante a sua detenção em Lyon, a mulher e a irmã do autor confesso do crime disseram aos investigadores que Salhi tinha estado na Síria em 2009.

Os serviços secretos franceses conheciam as ligações do suspeito a fações islâmicas radicais, o que fez com que o seguissem entre 2006 e 2008, período em que não cometeu qualquer ato que justificasse manter a vigilância.

Contudo, entre 2011 e 2014, também foram detetados contactos pontuais com meios salafistas do leste de França, indicou o procurador do ministério público de Paris, François Molins.
Lusa
  • Presidente francês fala em "ataque terrorista" em Lyon
    0:49

    Mundo

    O chefe de Estado francês interrompeu os trabalhos em Bruxelas para regressar ao Eliseu de urgência devido ao atentado em Lyon. François Hollande admite a existência de pelo menos um cúmplice e diz que não há dúvidas acerca da natureza terrorista do ataque.

  • Suspeito detido em Lyon estava referenciado por ligações ao Estado Islâmico
    1:02

    Mundo

    O suspeito detido pelas autoridades francesas após o ataque em Lyon não tem cadastro mas já estava referenciado plos serviços secretos por possíveis ligações ao chamado Estado Islâmico. O ministro do Interior francês confirma que foi aberta uma investigação antiterrorista mas avisa que é importante não serem tiradas conclusões precipitadas.

  • Decapitado em ataque de Lyon era patrão do suspeito

    Mundo

    O homem decapitado no atentado de hoje contra uma fábrica de gás industrial perto de Lyon, leste de França, era patrão do presumível autor do ataque, já detido, segundo fonte próxima da investigação citada pela agência France Presse.

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Mariana Mortágua acusa Governo anterior de deixar escapar milhões para offshores
    1:39

    Opinião

    Mariana Mortágua e Adolfo Mesquita estiveram na Edição da Noite da SIC Notícias para mais um Esquerda Direita. Mariana Mortágua acusou o Governo anterior de, por opção ou negligência, ter deixado escapar 10 mil milhões de euros para offshores. Já Adolfo Mesquita Nunes, do CDS-PP, desvalorizou o assunto afirmando que serve apenas para desviar as atenções da questão da Caixa Geral de Depósitos

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.