sicnot

Perfil

Mundo

Dilma Rousseff considera viagem ao Estados Unidos "relançamento" de relações

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, afirmou hoje que a sua viagem aos Estados Unidos e o encontro com o homólogo Barack Obama significaram um "relançamento" das relações entre os dois países, e um "passo a frente" no diálogo.    

Carolyn Kaster

Rousseff chegou a Nova Iorque no sábado, quase dois anos após cancelar uma viagem aos Estados Unidos devido a denúncias de espionagem por parte do Governo norte-americano. Ao ser questionada sobre o tema hoje, em conferência de imprensa, disse ter "certeza de que as condições passaram a ser diferentes". 

"Se fosse o caso de [o Presidente Obama] precisar de informação não pública [sobre o Governo brasileiro], ele me telefonaria", disse Rousseff à imprensa após um encontro com chefe de Estado norte-americano na Casa Branca.  

Os Presidentes trataram de áreas como comércio, tecnologia, ciência, educação, meio ambiente e a agenda internacional, além dos Jogos Olímpicos 2016 no Rio de Janeiro, para os quais Dilma Rousseff convidou Obama. 

Ao ser questionado sobre a atual má situação política e económica no Brasil, Obama afirmou saber como funciona a relação com o poder legislativo, numa referência às tensões entre a presidência e o Congresso norte-americano. 

"Vemos o Brasil como força global. Na maneira de coordenar as diferentes economias no G20, o país é uma força e as negociações só ocorrem com a sua participação como líder chave. Reconhecemos que não podemos resolver sozinhos problemas globais, e na saúde, por exemplo, temos que trabalhar com o Brasil e outros países", disse Obama.   

Os dois países assinaram um memorando de intenções sobre facilitação de comércio que prevê a realização de reuniões para o intercâmbio de experiências ainda este ano.

Obama e Dilma Rousseff assinaram também um acordo na área da Previdência Social, para que os trabalhadores de um dos países possam contribuir e receber benefícios no outro Estado, e anunciaram que os brasileiros viajantes frequentes para os Estados Unidos poderão aderir ao programa "Global Entry", que não isenta de visto, mas facilita os procedimentos para a sua obtenção. 

Dilma Rousseff tem previstos para quarta-feira encontros com executivos em São Francisco. 

 

Lusa

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.