sicnot

Perfil

Mundo

Estado Islâmico decapita duas mulheres acusadas de feitiçaria

 O grupo terrorista Estado Islâmico decapitou, pela primeira vez, duas mulheres na Síria acusadas de "feitiçaria", afirmou hoje o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).   

© Fayaz Kabli / Reuters

"O autoproclamado grupo Estado Islâmico executou duas mulheres, decapitando-as, na província de Deir Ezzor, e esta é a primeira vez que o OSDH documentou mulheres a serem assassinadas desta forma pelo grupo", afirmou o chefe do Observatório, Rami Abdel Rahman.

O OSDH informou que as execuções ocorreram no domingo e na segunda-feira passados e que as mulheres foram condenadas à morte, juntamente com os seus maridos, acusadas de "feitiçaria e magia".

Segundo a agência noticiosa francesa AFP, o grupo autodominado Estado Islâmico (EI) é acusado de crimes contra a humanidade e "adquiriu uma reputação sinistra", com as decapitações de homens, execuções massivas, apedrejamento de mulheres suspeitas de cometerem adultério e "mortes atrozes" infligidas aos homossexuais. 

No entanto, esta é a primeira vez que o OSDH teve conhecimento da execução de mulheres por decapitação.

Depois da autoproclamação do "califado" nos territórios conquistados no sul do Iraque e na Síria, o EI executou até agora mais de 3.000 pessoas, incluindo 1.800 civis, dos quais 74 crianças, segundo o OSDH, que conta com uma vasta rede de ativistas, de informadores e de fontes médicas em toda a Síria, um país em guerra há mais de quatro anos.

 

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28