sicnot

Perfil

Mundo

Kuwait afirma ter desmantelado célula terrorista após explosão de mesquita

O Kuwait afirmou hoje ter desmantelado hoje a "célula terrorista" alegadamente responsável pela explosão numa mesquita xiita na passada sexta-feira, que causou 26 mortos e 277 feridos.

© Stringer . / Reuters

O ministro da Administração Interna do Kuwait, Mohammad Kahaled Al-Sabah, afirmou à agência noticiosa francesa AFP que as autoridades continuam a procurar mais membros da célula.

   Entre um número indeterminado de suspeitos detidos, cinco foram encaminhados para o Ministério Público, incluindo o motorista que conduziu o bombista suicida saudita ao local do ataque, bem como o proprietário do veículo.

  O Conselho Judicial Supremo do Kuwait "decidiu criar um tribunal especial para julgar os suspeitos detidos", avançou ao Parlamento o ministro da Justiça e dos Assuntos Islâmicos, Yacoub al-Sane. 

  O ataque de sexta-feira, que causou 26 mortos e 227 feridos, foi reivindicado pelo ramo saudita do grupo extremista Estado Islâmico, e identificou Abu Suleiman al-Muwahhid como o autor do atentado.   

       No entanto, no domingo passado, as autoridades do Kuwait revelaram que o verdadeiro nome do bombista suicida é Fahd al-Suleiman Abdulmohsen Qaba'a, de 23 anos de idade, que entrou no país na madrugada do dia do atentado num voo proveniente do Bahrain.

 

 

 

 

Lusa

 

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão