sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos dois mortos em comboio de alta velocidade no Japão

Pelo menos duas pessoas morreram hoje depois de um passageiro de um comboio de alta velocidade do Japão se ter imolado pelo fogo no interior da composição, noticiou a televisão pública NHK.

© KYODO Kyodo / Reuters

O incidente teve lugar às 11:30 locais (03:30 em Lisboa), num dos comboios de alta velocidade da linha Tokai, que cumpre o trajeto entre Tóquio e Osaka.

O 'Shinkansen' encontrava-se entre as estações de Shin Yokohama e Odawara quando um dos passageiros se encharcou em combustível e ateou fogo a si próprio, explicou um porta-voz da companhia ferroviária JR Central à agência noticiosa Efe.

Um homem e uma mulher morreram, de acordo com a NHK, que não especificou, contudo, se o passageiro que provocou o fogo figura entre as vítimas mortais.

As autoridades tentam ainda controlar o incêndio que deflagrou na primeira carruagem do 'Shinkansen', parado há várias horas entre as referidas estações e que foi parcialmente evacuado. 

O incêndio, provocado voluntariamente numa aparente tentativa de suicídio, fez ainda pelo menos dois feridos graves e cerca de 20 pessoas terão sido assistidas por inalação de fumo, de acordo com os 'media' locais.

A JR Central foi obrigada a suspender a atividade de outros comboios de alta velocidade que cobrem o trajeto entre Tóquio e Osaka, segundo o porta-voz da companhia, devido ao incidente.

O ''Shinkansen'', cujo primeiro modelo foi lançado em 1964, é o equivalente japonês do TGV, sendo considerado dos comboios mais confortáveis, pontuais e seguros do mundo.

 

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida