sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos dois mortos em comboio de alta velocidade no Japão

Pelo menos duas pessoas morreram hoje depois de um passageiro de um comboio de alta velocidade do Japão se ter imolado pelo fogo no interior da composição, noticiou a televisão pública NHK.

© KYODO Kyodo / Reuters

O incidente teve lugar às 11:30 locais (03:30 em Lisboa), num dos comboios de alta velocidade da linha Tokai, que cumpre o trajeto entre Tóquio e Osaka.

O 'Shinkansen' encontrava-se entre as estações de Shin Yokohama e Odawara quando um dos passageiros se encharcou em combustível e ateou fogo a si próprio, explicou um porta-voz da companhia ferroviária JR Central à agência noticiosa Efe.

Um homem e uma mulher morreram, de acordo com a NHK, que não especificou, contudo, se o passageiro que provocou o fogo figura entre as vítimas mortais.

As autoridades tentam ainda controlar o incêndio que deflagrou na primeira carruagem do 'Shinkansen', parado há várias horas entre as referidas estações e que foi parcialmente evacuado. 

O incêndio, provocado voluntariamente numa aparente tentativa de suicídio, fez ainda pelo menos dois feridos graves e cerca de 20 pessoas terão sido assistidas por inalação de fumo, de acordo com os 'media' locais.

A JR Central foi obrigada a suspender a atividade de outros comboios de alta velocidade que cobrem o trajeto entre Tóquio e Osaka, segundo o porta-voz da companhia, devido ao incidente.

O ''Shinkansen'', cujo primeiro modelo foi lançado em 1964, é o equivalente japonês do TGV, sendo considerado dos comboios mais confortáveis, pontuais e seguros do mundo.

 

Lusa

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06