sicnot

Perfil

Mundo

"Solar Impulse 2" já sobrevoou um terço do percurso entre Japão e Havai

O avião "Solar Impulse 2", movido a energia solar, completou um terço da ligação entre o Japão e o Havai, após de mais de 40 horas de voo sobre o Oceano Pacífico, segundo fonte da organização.  

© KYODO Kyodo / Reuters

O avião, cujas asas estão cobertas com células fotovoltaicas, esteve parado durante um mês em Nagoya, no Japão, devido ao mau tempo, mas, agora, "as luzes estão verdes e tudo parece estar a correr como planeado", afirma um dos responsáveis pela experiência. 

A travessia aérea entre o Japão e o Havai tem um total de 7.900 quilómetros e os técnicos preveem que dure cerca de 120 horas ou cinco dias e cinco noites. 

Dois dias após a descolagem, o avião já percorreu 2.730 quilómetros e atingiu 6.250 metros de altitude. 

A bordo do "Solar Impulse 2" está apenas um piloto, André Borschberg, que assegurou, durante uma conversa com os engenheiros do centro de controlo, localizado no Mónaco, que o voo está a correr bem e descreveu esta etapa da viagem como um "momento fabuloso". 

O piloto afirmou que as "condições acima dos 20.000 pés de altitude são difíceis" e que está sujeito a temperaturas entre os 20º C negativos e os 30º C positivos. 

Para relaxar, o piloto pratica yoga e faz sestas de 20 minutos, segundo a organização. 

Se for bem-sucedida, esta será a viagem mais longa realizada por apenas um piloto e será, simultaneamente, a maior distância percorrida por um avião elétrico. 

Esta etapa entre o Japão e o Havai está inserida na viagem que o "Solar Impulse 2" irá percorrer à volta do mundo, que corresponde a 35 mil quilómetros, para promover o uso de energias renováveis. 

O criador do projeto, Bertrand Piccard, manifestou o seu entusiasmo com o êxito da iniciativa, explicando que o seu sonho era "ver um avião a voar sem queimar combustível". 
 

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • "Juntos por Todos" hoje no palco em Lisboa
  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.