sicnot

Perfil

Mundo

Ataque de extremistas sunitas a rebeldes xiitas no Iémen causa 28 mortos

Um ataque aos rebeldes iemenitas huthis na capital do Iémen, reivindicado pela organização que se designa Estado Islâmico (EI), causou a morte a pelo menos 28 pessoas, no mais recente ataque contra xiitas dos extremistas sunitas, disse fonte oficial.

© Khaled Abdullah Ali Al Mahdi

Por outro lado, os huthis libertaram 1.200 presos de uma prisão. 

O Iémen tem sido zona privilegiada da Al-Qaida, organização rival da mencionada EI, que controla partes importantes do sul e leste do país, mas o EI tem reivindicado uma série de importantes ataques desde março. 

Um carro armadilhado explodiu ao fim de segunda-feira, num atentado dirigido a dois irmãos chefes dos rebeldes xiitas, durante o funeral de um parente. 

O EI já reivindicou o ataque nas redes sociais, dizendo que tinha atacado um "ninho xiita". 

Este grupo classifica os xiitas como heréticos e tem-nos atacado com frequência, no Iémen e na região. 

Na sexta-feira, um suicida do EI, de nacionalidade saudita, matou 26 pessoas e feriu 227 num atentado a uma mesquita xiita no Koweit. 

O EI, que assinalou na segunda-feira o primeiro aniversário da sua declaração de um 'califado' no Iraque e na Síria, lançou a sua campanha iemenita em março com uma série de ataques bombistas a mesquitas xiitas, que causaram a morte a 142 pessoas. 

Os ataques do EI ensombraram as operações da Al-Qaida na Península Arábica (AQPA, na sigla em Inglês) que controla Mukalla, a capital da província de Hadramawt, no sudeste iemenita. 

Os EUA continuam a ver a AQAP como o ramo mais perigoso da rede da Al-Qaida e têm realizado uma série de ataques aos seus líderes através de aviões não tripulados (drones).  

Mas os analistas asseguram que o EI está claramente a ganhar ascendência. 

O EI "está em vias de suplantar a AQAP, que se está a tornar apenas uma das forças do campo tribal sunita no sul do Iemen", afirmou Mathieu Guidere, professor de Estudos Islâmicos na Universidade francesa de Toulouse. 

Os rebeldes xiitas Huthi, apoiados pelo Irão, apoderaram-se de vastas partes do Iémen, desde que lançaram uma ofensiva em julho, e forçaram o Presidente Abedrabbo Mansour Hadi a fugir para a Arábia Saudita.

Lusa

  • "Há uma grande diferença em relação à anterior liderança do PSD"
    14:29

    País

    O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve esta quarta-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. As novas relações com o PSD e a reprogramação do Portugal 2020 foram alguns dos temas de conversa. Pedro Marques defende que existe "uma grande diferença" entre as lideranças de Passos Coelho e Rui Rio no PSD.

    Entrevista SIC Notícias

  • Dia de homenagens e muito futebol para Marcelo em São Tomé
    3:01

    País

    No segundo dia da visita de Estado a São Tomé e Príncipe, o Presidente da República prestou homenagem às vítimas do massacre de Batepá, em 1953. Marcelo Rebelo de Sousa não pediu desculpa pela história, mas lembrou que é preciso assumir as coisas menos boas do passado. O dia terminou com o Presidente a mostrar que ainda está em forma.

    Enviados SIC

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • Casal mantinha filhos trancados sem comida

    Mundo

    Se pensava que só existia uma casa dos horrores, a da família Turpin, desengane-se. A polícia de Tucson, no estado norte-americano do Arizona, deteve na terça-feira um casal que mantinha os quatro filhos adotivos trancados em quartos separados.

    SIC

  • Pigcasso, a porca pintora que tem uma galeria de arte

    Mundo

    O nome sugere o talento da artista que vive na Cidade do Cabo, na África do Sul. Pigcasso estava prestes a morrer, quando foi resgatada por uma ativista que a ajudou a enveredar pelo caminho da pintura. Desde pequena começou a pegar em pincéis e agora é o primeiro animal do mundo com uma galeria de arte, onde já lançou a sua primeira exposição intitulada 'Oink!'.