sicnot

Perfil

Mundo

Chineses estão a ficar mais altos e mais obesos

O povo chinês está a ficar mais alto à medida que o país tem vindo a enriquecer, mas o índice de obesidade que apresenta revela um crescimento ainda mais rápido, refere a imprensa estatal local.

(Arquivo)

(Arquivo)

Ng Han Guan / AP

A proporção de chineses com mais de 18 anos que em 2012 apresentava excesso de peso era 30,1 por cento, significando um aumento de 7,3 pontos percentuais atingido numa década, disse na terça-feira o vice-diretor da Comissão Nacional para a Saúde e Planeamento Familiar, Wang Guoqiang, numa conferência de imprensa.

O rácio de obesidade aumentou 4,8 pontos percentuais, representando um crescimento de 11,9 por cento, o que significa que há mais dois terços da população chinesa a apresentar índices de obesidade, acrescentou.

O peso médio dos chineses homens situava-se, em 2012, nos 66,2 quilos, e o das mulheres em 57,3 quilos, esclareceu Wang Guoqiang, com base num relatório governamental sobre nutrição nacional e doenças crónicas.   

Este resultado significa que, no espaço de dez anos, os homens aumentaram cerca de 3,5 quilogramas, e as mulheres 2,9 quilogramas, refere hoje o jornal China Daily citando os números anteriormente mencionados.

"Tabagismo, excesso de álcool, pouco exercício físico e uma dieta nada saudável, como consumo abusivo de sal e de gorduras [polinsaturadas] são os principais comportamentos de risco", apontou Wang Guoqiang na conferência de imprensa, sublinhando serem estas as razões que estão a "provocar ou agravar as doenças crónicas".

No entanto, acrescem a este problema "as pressões resultantes de um rápido desenvolvimento e transformação da economia e da sociedade na vida das pessoas, mudanças a nível pessoal e profissional que também causam impactos na saúde", indicou.  

A média de altura dos chineses homens há dez anos era de 1,67 metros e aumentou 04 milímetros, enquanto as mulheres, cuja média era 1,56 metros, cresceram 07 milímetros.

Num relatório publicado em 2014 na revista médica britânica 'The Lancet' mostra-se que anualmente morrem 363.000 pessoas na China por causas decorrentes da obesidade, como diabetes e ataques cardíacos.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.