sicnot

Perfil

Mundo

Doze mortos em novos combates na cidade iemenita de Áden

 Sete rebeldes xiitas e cinco partidários do governo iemenita no exílio foram mortos hoje em novos combates em Áden, no sul do país, indicou fonte militar.  

© Stringer Shanghai / Reuters

Os confrontos eclodiram no norte da grande cidade portuária, atingida na quarta-feira por 'rockets' Katyusha, um ataque atribuído às milícias xiitas 'huthis' que fez 31 mortos e 103 feridos.

Os 'huthis' tentaram um avanço na área de Bassatine, mas entraram em confrontos com membros dos Comités de Resistência Popular, grupos paramilitares, partidários do Presidente exilado Abd Rabbo Mansour Hadi, e combatentes voluntários, disse o responsável.

A ONU declarou, esta quarta-feira, a existência no Iémen de uma emergência humanitária de grau 3, o mais elevado da sua escala, para aumentar a ajuda internacional urgentemente necessária ao país devastado pela guerra.

Mais de 21,1 milhões de pessoas -- mais de 80% da população do Iémen -- precisam de ajuda, 13 milhões dos quais enfrentando a falta de alimentos. O acesso à água tornou-se difícil para 9,4 milhões de pessoas, de acordo com a ONU.

  • "O bom senso obriga a acordo para a estabilização do sistema financeiro"
    2:06

    Economia

    O Presidente da República disse esta quarta-feira que "o bom senso obriga a que todos estejam de acordo para a estabilização do sistema financeiro". Num aparente recado a Passos Coelho, Marcelo apelou a um consenso de regime e avisou que "não há prazer tático que justifique o desgaste" provocado pelas divisões atuais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.