sicnot

Perfil

Mundo

Ex-detido de Guantánamo condenado a pagar indemnização de 134,2 milhões dólares

Um tribunal dos Estados Unidos condenou um ex-detido de Guantánamo a pagar uma indemnização de 134,2 milhões de dólares por um ataque no Afeganistão que matou um soldado norte-americano e feriu outro, informou hoje a advogada das vítimas.

© Todd Korol / Reuters

Laura Tanner, a advogada, mostrou-se satisfeita com a decisão, embora tenha dito que os seus clientes não têm a ilusão de que o ex-detido, Omar Khadr, natural do Canadá, possa alguma vez pagar a indemnização, que ao câmbio de hoje corresponde a 121 milhões de euros.

"O próximo passo é trabalhar com as autoridades judiciais do Canadá (...) e investigar todas as possibilidades que temos para receber o que pudermos", acrescentou a advogada sobre a decisão tomada em junho por um tribunal de Salt Lake City (Utah).

Khadr foi repatriado para o Canadá em setembro de 2012, depois de passar 10 anos no campo de detenção de Guantánamo. 

Capturado quando era ainda adolescente no Afeganistão, em 2002, foi condenado em 2010 a oito anos de prisão por se ter dado como culpado por um ataque à granada que matou um soldado norte-americano e feriu outro. 

Em maio passado foi libertado sob caução, depois de um tribunal de recurso canadiano ter rejeitado um processo do Ministério Público canadiano para que Khadr permanecesse na prisão. 

 

 

 

 

Lusa

 

  • Portugal supera média da OCDE nos testes PISA em ciências e leitura

    País

    Pela primeira vez, Portugal conseguiu resultados "significativamente superiores" à média da OCDE nos testes PISA em ciências e leitura. É o Instituto de Avaliação Educativa que o garante, segundo os dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico hoje divulgados.

  • Quando se confunde o pedal do travão com o acelerador
    0:38

    Mundo

    Na China, chegam imagens de um acidente fora do normal. Um homem parou o carro e saiu para cumprimentar um amigo. Enquanto conversavam, a viatura começou a descair lentamente. O condutor correu de imediato para o carro. Com as mãos já no volante, tentou evitar o pior mas em vez de carregar no travão, carregou no acelerador.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.