sicnot

Perfil

Mundo

França rejeita pedido de asilo de fundador do WikiLeaks Julian Assange

A França rejeitou hoje um pedido de asilo apresentado na véspera pelo fundador do portal WikiLeaks, o australiano Julian Assange, refugiado há três anos na Embaixada do Equador em Londres, anunciou a presidência francesa.  

Kirsty Wigglesworth

"Tendo em conta elementos jurídicos e a situação material de Assange, a França não pode dar provimento ao seu pedido", indicou o Eliseu num comunicado. 

"A situação de Assange não representa perigo imediato", assinalou ainda a presidência, sublinhando igualmente que o fundador do WikiLeaks "é alvo de um mandado de detenção europeu".

Julian Assange exprimiu o desejo de obter asilo em França numa carta dirigida na quinta-feira ao presidente François Hollande e publicada hoje no diário francês Le Monde.

Na carta, Assange descreve-se como "um jornalista perseguido e ameaçado de morte pelas autoridades" norte-americanas "devido a atividades profissionais".

"Nunca fui formalmente acusado de um delito ou de um crime em qualquer lugar do mundo, incluindo na Suécia e no Reino Unido", afirma.

O fundador do WikiLeaks, que faz hoje 44 anos, vive em reclusão na Embaixada do Equador em Londres há três anos para escapar a um pedido de extradição para a Suécia, onde duas mulheres o acusam de agressão sexual e de violação, o que sempre desmentiu.

Assange teme que a extradição para a Suécia conduza a uma transferência para os Estados Unidos para ser julgado sobre a divulgação pelo WikiLeaks de documentos militares e diplomáticos norte-americanos classificados.

O seu pedido de asilo em França ocorre pouco depois da publicação por dois meios de comunicação social franceses de documentos Wikileaks revelando que os Estados Unidos espiaram os três últimos presidentes franceses: Jacques Chirac (1995-2007), Nicolas Sarkozy (2007-2012) e François Hollande (2012-).

Lusa

  • Depois do Fogo
    0:25

    Reportagem Especial

    Uma semana depois do incêndio de Pedrogão Grande são muitas as histórias de perda e de sobrevivência, mas também de solidariedade de pessoas anónimas, que não dormiram durante dias a fio, para apoiar na logística do difícil combate ao incêndio florestal mais mortífero de que há memória. Depois do Fogo, hoje no Jornal da Noite.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.