sicnot

Perfil

Mundo

Sismo de 6,1 sacode região de Xinjiang, oeste da China

Um sismo de magnitude 6,1 na escala de Richter sacudiu hoje a região de Xinjiang, no oeste da China, sem que haja, até ao momento, registo de vítimas ou danos materiais.

A China é frequentemente atingida por tremores de terra, particularmente nas províncias de Sichuan e de Yunnan

A China é frequentemente atingida por tremores de terra, particularmente nas províncias de Sichuan e de Yunnan

© Staff Photographer / Reuters

O epicentro do abalo, que ocorreu às 09:07 locais (02:07 em Lisboa), foi localizado a 164 quilómetros a noroeste da cidade de Hotan, segundo dados do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que monitoriza a atividade sísmica mundial.

Segundo o centro sismológico da China, que atribuiu ao terramoto uma magnitude de 6,5, foram sentidas várias réplicas, entre 3 e 4,6.

O sismo sacudiu o condado de Pishan, na parte sul de Xinjiang, a cerca de 1.800 quilómetros de distância da capital da região, Urumqi, com uma área de 39.700 quilómetros quadrados e uma população estimada em 258 mil habitantes, a maior parte da minoria uigur, de acordo com a agência oficial Xinhua.

A China é frequentemente atingida por tremores de terra, particularmente nas províncias de Sichuan e de Yunnan.

Em maio de 2008, um sismo de 7,9 devastou Sichuan, deixando mais de 80 mil mortos, naquele que foi o pior terramoto da China em mais de três décadas. 

 

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".