sicnot

Perfil

Mundo

Sismo de 6,1 sacode região de Xinjiang, oeste da China

Um sismo de magnitude 6,1 na escala de Richter sacudiu hoje a região de Xinjiang, no oeste da China, sem que haja, até ao momento, registo de vítimas ou danos materiais.

A China é frequentemente atingida por tremores de terra, particularmente nas províncias de Sichuan e de Yunnan

A China é frequentemente atingida por tremores de terra, particularmente nas províncias de Sichuan e de Yunnan

© Staff Photographer / Reuters

O epicentro do abalo, que ocorreu às 09:07 locais (02:07 em Lisboa), foi localizado a 164 quilómetros a noroeste da cidade de Hotan, segundo dados do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que monitoriza a atividade sísmica mundial.

Segundo o centro sismológico da China, que atribuiu ao terramoto uma magnitude de 6,5, foram sentidas várias réplicas, entre 3 e 4,6.

O sismo sacudiu o condado de Pishan, na parte sul de Xinjiang, a cerca de 1.800 quilómetros de distância da capital da região, Urumqi, com uma área de 39.700 quilómetros quadrados e uma população estimada em 258 mil habitantes, a maior parte da minoria uigur, de acordo com a agência oficial Xinhua.

A China é frequentemente atingida por tremores de terra, particularmente nas províncias de Sichuan e de Yunnan.

Em maio de 2008, um sismo de 7,9 devastou Sichuan, deixando mais de 80 mil mortos, naquele que foi o pior terramoto da China em mais de três décadas. 

 

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18