sicnot

Perfil

Mundo

Sobe para 185 número de casos de coronavírus na Coreia do Sul

As autoridades da Coreia do Sul elevaram hoje para 185 o número de casos da Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS), depois de um médico ter testado positivo ao novo coronavírus. 

© Kerek Wongsa / Reuters

O médico trabalhava no centro médico Samsung, em Seul, onde quase metade dos casos de contágio pelo novo coronavírus foram detetados, informou o Ministério da Saúde.

Dos 185 casos de MERS sinalizados na Coreia do Sul, 33 revelaram-se mortais.

Na sexta-feira, uma enfermeira da mesma unidade hospitalar também foi diagnosticada com MERS, elevando para 13 o número de funcionários atingidos pelo novo coronavírus, segundo agência Yonhap.

O primeiro caso de MERS na Coreia do Sul foi detetado em 20 de maio último.

As autoridades mostraram-se, porém, otimistas, já que não é reportada nenhuma morte há quatro dias e o número de novos casos tem vindo a abrandar, sinais de que o surto se encontra, de certo modo, sob controlo.

Das 185 pessoas diagnosticadas com MERS, 111 recuperaram totalmente, enquanto 41 continuam hospitalizadas, segundo dados atualizados hoje pelo Ministério da Saúde da Coreia do Sul.

A Coreia do Sul figura, depois da Arábia Saudita, como o segundo país com maior número de casos de MERS. 

A MERS é considerada um 'primo', mais mortal, mas menos contagioso, do vírus responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS) que, em 2008, fez cerca de 800 mortos em todo o mundo.

DM // DM.

Lusa/Fim

 

NewsSubjects:- Saúde - Doenças 

20150704T053228

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.