sicnot

Perfil

Mundo

Papa inicia hoje visita de nove dias a três países latino-americanos

O papa inicia hoje, em Quito, uma viagem de nove dias por três países da América Latina, Equador, Bolívia e Paraguai, marcados pela desigualdade, pobreza e a pesada herança de regimes autoritários. 

© Max Rossi / Reuters

De domingo a 13 de julho, o primeiro papa jesuíta latino-americano cumpre a viagem mais longa desde que foi eleito, em março de 2013, durante a qual fará 22 discursos e subirá sete vezes a bordo de um avião para percorrer 24 mil quilómetros. 

A participação da Igreja Católica no "debate democrático", o respeito "pela identidade cultural de cada país", a proteção do ambiente e das famílias "que sofrem", especialmente as famílias monoparentais, são temas que o papa vai abordar, declarou o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin. 

Quito e Guayaquil no Equador, La Paz e Santa Cruz na Bolívia, Assunção e Caacupé no Paraguai: apesar dos seus 78 anos, o papa "não teve a menor dúvida" ao escolher um programa intenso, explicou o porta-voz, Federico Lombardi. 

Jorge Bergoglio, que aos 20 anos foi submetido a uma cirurgia para retirar parte de um pulmão, não excluiu mastigar folhas de coca para contrariar o "mal das montanhas", quando estiver em La Paz, a 3.700 metros de altitude. 

O papa vai presidir a cinco missas ao ar livre, esperando-se em cada uma entre um a dois milhões de pessoas. Orações e cânticos serão entoados em línguas indígenas como guarani, quechua e amaira. 

Na missa final, em Nu Guazu, em Assunção, as autoridades esperam a presença de um milhão de fiéis da Argentina, do Uruguai e do Brasil. 

Jorge Bergoglio deslocou-se ao Brasil, em julho de 2013, para as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), uma viagem que tinha sido planeada durante o pontificado de Bento XVI. 

Esta visita vai ser também um ato de reconciliação com a história colonial espanhola da região, em que o papa vai abordar a influência jesuíta e a criação entre os séculos XVI e XVIII de missões católicas, onde eram agrupadas populações indígenas, numa tentativa de as "proteger" e de as "civilizar"

Jorge Bergoglio vai encontrar-se com os presidentes Rafael Correa (Equador), Evo Morales (Bolívia), Horacio Cartes (Paraguai) e vários outros dirigentes. 

A etapa na Bolívia incluirá dois momentos particularmente fortes: a visita à prisão Palmasola, perto de Santa Cruz, e em La Paz, um momento de recolhimento no local onde o padre jesuíta espanhol Luis Espinal foi assassinado por paramilitares em 1980. 

 

 

 

 

Lusa

 

  • Marinha e Exército dão luz verde ao Aeroporto do Montijo

    País

    De acordo com a edição deste domingo do Diário de Notícias, o Exército e a Marinha já comunicaram à Força Aérea disponibilidade para desocupar parcialmente a base aérea e o Montijo se transformar num num aeroporto complementar ao de Lisboa.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.