sicnot

Perfil

Mundo

Papa inicia hoje visita de nove dias a três países latino-americanos

O papa inicia hoje, em Quito, uma viagem de nove dias por três países da América Latina, Equador, Bolívia e Paraguai, marcados pela desigualdade, pobreza e a pesada herança de regimes autoritários. 

© Max Rossi / Reuters

De domingo a 13 de julho, o primeiro papa jesuíta latino-americano cumpre a viagem mais longa desde que foi eleito, em março de 2013, durante a qual fará 22 discursos e subirá sete vezes a bordo de um avião para percorrer 24 mil quilómetros. 

A participação da Igreja Católica no "debate democrático", o respeito "pela identidade cultural de cada país", a proteção do ambiente e das famílias "que sofrem", especialmente as famílias monoparentais, são temas que o papa vai abordar, declarou o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin. 

Quito e Guayaquil no Equador, La Paz e Santa Cruz na Bolívia, Assunção e Caacupé no Paraguai: apesar dos seus 78 anos, o papa "não teve a menor dúvida" ao escolher um programa intenso, explicou o porta-voz, Federico Lombardi. 

Jorge Bergoglio, que aos 20 anos foi submetido a uma cirurgia para retirar parte de um pulmão, não excluiu mastigar folhas de coca para contrariar o "mal das montanhas", quando estiver em La Paz, a 3.700 metros de altitude. 

O papa vai presidir a cinco missas ao ar livre, esperando-se em cada uma entre um a dois milhões de pessoas. Orações e cânticos serão entoados em línguas indígenas como guarani, quechua e amaira. 

Na missa final, em Nu Guazu, em Assunção, as autoridades esperam a presença de um milhão de fiéis da Argentina, do Uruguai e do Brasil. 

Jorge Bergoglio deslocou-se ao Brasil, em julho de 2013, para as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), uma viagem que tinha sido planeada durante o pontificado de Bento XVI. 

Esta visita vai ser também um ato de reconciliação com a história colonial espanhola da região, em que o papa vai abordar a influência jesuíta e a criação entre os séculos XVI e XVIII de missões católicas, onde eram agrupadas populações indígenas, numa tentativa de as "proteger" e de as "civilizar"

Jorge Bergoglio vai encontrar-se com os presidentes Rafael Correa (Equador), Evo Morales (Bolívia), Horacio Cartes (Paraguai) e vários outros dirigentes. 

A etapa na Bolívia incluirá dois momentos particularmente fortes: a visita à prisão Palmasola, perto de Santa Cruz, e em La Paz, um momento de recolhimento no local onde o padre jesuíta espanhol Luis Espinal foi assassinado por paramilitares em 1980. 

 

 

 

 

Lusa

 

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.