sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia Internacional acusa Sérvia e Macedónia de maltratarem migrantes

A Amnistia Internacional (AI) acusou a Sérvia e a Macedónia de maltratarem os migrantes clandestinos que passam pelos seus territórios a caminho da União Europeia, indica um relatório hoje publicado.

reuters

"Os refugiados e os migrantes que passam pelos Balcãs são expostos a abusos violentos (...) por parte das autoridades e dos criminosos locais, e foram vergonhosamente abandonados pela União Europeia e pela sua política migratória, que os deixa sem proteção na Sérvia e na Macedónia", afirma o relatório. 

Segundo a AI, este relatório é fruto de quatro inquéritos realizados na Sérvia, na Hungria, na Grécia e na Macedónia, entre julho de 2014 e março de 2015, incluindo entrevistas a mais de 100 migrantes.

"Os refugiados fogem da guerra e das perseguições atravessando as Balcãs, na esperança de encontrar segurança na Europa, mas acabam por ser vítimas de abusos e exploração, ficando à mercê de um sistema falhado de pedido de asilo", declarou Gauri van Gulik, diretor adjunto da AI para a Europa e Ásia Central.

"A Sérvia e a Macedónia tornaram-se uma porta de saída para o fluxo de migrantes que ninguém na Europa parece estar disposto a acolher", acrescentou.

Nas fronteiras da Grécia com a Macedónia e da Macedónia com a Sérvia, os refugiados e migrantes são deportados ilegalmente e muitos "são obrigados a pagar subornos", indica o relatório.

Os refugiados que passam pela Hungria são obrigados a pagar, cada um, 100 euros à polícia nas fronteiras sérvias, sob a ameaça de serem enviados de volta, diz o relatório, citando testemunhos. Outros entrevistados relatam terem sido "severamente agredidos" na Sérvia e na Macedónia.

Em junho, a polícia sérvia anunciou a detenção de 29 polícias e nove funcionários alfandegários, acusados de corrupção e abuso de poder, bem como de terem recebido subornos para fechar os olhos à passagem de migrantes ilegais para a Hungria. 

Segundo a AI, as legislações relativas ao pedido de asilo nos países dos Balcãs são inadaptadas à situação no terreno, onde o número de migrantes aumenta diariamente.

De acordo com o ministério do Interior sérvio, mais de 34.000 pessoas pediram asilo no país desde o início do ano.

A Sérvia não é membro da União Europeia mas oferece um acesso terrestre a quatro Estados-membros: Bulgária, Roménia, Hungria e Croácia.

  • Chuva deixa em alerta 12 distritos do continente

    País

    Doze distritos do continente estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de chuva, que pode ser pontualmente forte e acompanhada por trovoadas e granizo, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • Sabia que pode emprestar dinheiro a empresas e ganhar 7% em juros por ano?
    8:05
  • A experiência de um embaixador português na Coreia do Norte
    2:58

    País

    A Coreia do Norte tem o maior orçamento militar do mundo e o seu arsenal nuclear acaba por dar-lhe acesso a uma possível cimeira com os Estados Unidos. A pobreza e o culto da personalidade foram testemunhados pelo embaixador, José Manuel de Jesus, que visitou várias vezes Pyongyang.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.