sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas mexicanos criam luva que traduz a língua gestual

Os investigadores do Instituto Politécnico Nacional (IPN) do México desenvolveram uma luva que transforma em texto e sons a língua gestual, divulgou a instituição.

J. Scott Applewhite

"Esta nova ferramenta [a luva] traduz em texto e voz os códigos de linguagem usados pelos surdos-mudos para que sejam entendidos pelas pessoas que os desconhecem", afirmam num comunicado disponível no 'site' da instituição os responsáveis do projeto Miguel Félix Mata Rivera e Helena Luna García, da Unidade Profissional Interdisciplinar de Engenharia e Tecnologias Avançadas (UPIITA).

O protótipo consiste numa luva que deteta os movimentos feitos pelo utilizador com a mão e os traduz nos 26 carateres do alfabeto internacional.

A aplicação desenvolvida "reproduz o texto em voz através de um sintetizador, permitindo à pessoa que fala com o utilizador da luva escutar o que este lhe quer dizer", salientou Miguel Félix Mata Rivera.  

O texto e o som são transmitidos da luva para o telemóvel da pessoa que não fala língua gestual, que deve ter uma aplicação específica.

"O protótipo cinge-se apenas ao alfabeto internacional, mas estamos já a trabalhar nos códigos" de língua espanhola, acrescentou, salientando que o desenvolvimento do projeto, composto por três módulos - sensorial, de processamento e um telemóvel - tem o propósito de criar uma luva que seja económica e acessível.  

Para detetar se os dedos [da luva] estão abertos ou fechados foi utilizado um material inovador, usado na produção de roupa com componentes eletrónicos, contendo fios condutores à base de aço e que permitem a passagem de 50 miliamperes de corrente.

"Os materiais usados para a construção da luva são de nova geração", assinalou Miguel Félix Mata Rivera, explicando que a base da luva foi cosida à mão com fio de poliéster e nylon, e inclui molas e sensores para lhe darem robustez de maneira a manter a forma da mão. 

Trata-se de uma aplicação para sistema 'Android' [sistema operacional móvel] e está disponível na 'Play Store' de forma gratuita sob o nome 'Guante Traductor'.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.