sicnot

Perfil

Mundo

HSBC despede seis funcionários que filmaram falsa execução do Estado Islâmico

O banco britânico HSBC despediu seis funcionários por terem filmado um vídeo de uma falsa execução, semelhante às do grupo Estado Islâmico, durante uma ação de motivação da empresa, anunciou hoje um porta-voz.

© Peter Nicholls / Reuters

O vídeo, que mostrava os empregados do banco encapuzados com uma faca encostada a um homem de joelhos, que vestia um fato cor de laranja, foi divulgado pelos autores. É possível ouvir um dos funcionários a gritar "Allahou akbar" (Deus é grande, em árabe).

"Tomámos a decisão de despedir as pessoas implicadas", declarou um porta-voz do HSBC.

"Este vídeo é abjeto e o HSBC deseja pedir desculpa a todos os que se possam sentir ofendidos", acrescentou.

Os autores realizaram o vídeo durante uma ação de motivação para funcionários, que ocorreu num centro de karting em Birmingham.

O grupo Estado Islâmico, que controla vastos territórios no Iraque e na Síria, executou mais de 3.000 pessoas desde a proclamação do Califado Islâmico.

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Obama encurta pena de delatora do Wikileaks
    1:45
  • Putin sai em defesa de Trump
    2:29

    Mundo

    Vladimir Putin já saiu em defesa de Donald Trump e diz que houve uma tentativa de minar o Presidente eleito dos Estados Unidos, através de um alegado relatório, atribuido à espionagem russa. Putin diz que o relatório é falso.