sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 150 mil civis refugiados nas bases da ONU no Sudão do Sul

O número de civis sul-sudaneses que se refugiaram em bases das Nações Unidas no país ultrapassou os 150.000 pela primeira vez desde o início da guerra civil há 18 meses, indicou hoje a ONU.

© Stringer . / Reuters

No total, 153.769 civis estão abrigados nas seis bases da Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul (MINUSS).

Temendo os combates e as matanças, alguns daqueles deslocados estão nas bases da ONU desde o início do conflito no Sudão do Sul em dezembro de 2013.

A esses juntaram-se dezenas de milhares de outros, nomeadamente após um renovamento dos combates em abril. Apenas na última semana chegaram mais de 10.000 pessoas, segundo os dados comunicados pela MINUSS.

Em Juba, a capital onde cerca de 28.000 civis estão amontoados em duas bases das Nações Unidas, trabalhadores humanitários tentam travar uma epidemia de cólera que começou há um mês e já causou 32 mortos.

Mais de 91.000 pessoas estão abrigadas em Bentiu, capital do estado de Unité, no norte do país, onde a ONU acusou recentemente o exército sul-sudanês de ter violado e queimado vivas mulheres e crianças nas suas casas.

A base da ONU de Malakal, capital do estado petrolífero do Alto Nilo, no nordeste, dá abrigo a mais de 30.000 civis. A cidade foi reduzida a ruínas depois de meses de combates, durante os quais mudou várias vezes de mãos.

O exército anunciou ter recuperado Malakal na segunda-feira aos rebeldes, que a ocupavam há cerca de uma semana e que tinham disparado contra os civis refugiados na base da ONU. O ataque foi qualificado de crime de guerra pela MINUSS.

O país, que completa na quinta-feira quatro anos de independência, após a cisão do Sudão, está devastado depois de um ano e meio de conflito.

Os combates começaram quando o presidente Salva Kiir acusou o seu antigo vice-presidente Riek Machar de fomentar um golpe de Estado. Cerca de dois milhões de pessoas abandonaram as suas casas desde então e perto de metade dos 12 milhões de habitantes precisam de ajuda para sobreviver, segundo a ONU.

Lusa

  • Costa preparado para falar da renegociação da dívida no plano europeu
    2:24

    Economia

    O primeiro-ministro não quer quebrar com as regras impostas pela UE e não vai dar o primeiro passo na renegociação da dívida, mas estará na linha da frente quando Bruxelas ceder. Em entrevista à RTP, António Costa garante que o Governo cumpriu tudo aquilo que acordou com o presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos, António Domingues.

  • Benfica persegue oitavos da Liga dos Campeões

    Desporto

    O Benfica tenta hoje a qualificar-se para os oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, procurando uma vitória na receção ao Nápoles que lhe permita vencer o Grupo H e manter-se a salvo do perseguidor Besiktas.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.

  • Nova Deli é "altamente tóxica" para os cidadãos

    Mundo

    Nova Deli foi considerada altamente tóxica para os cidadãos. A capital da Índia é considerada há mais de três anos a cidade mais poluída do mundo, mas só este ano se concluiu que é tão tóxica que é capaz de provocar doenças crónicas a quem lá vive.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.