sicnot

Perfil

Mundo

Polícia russa lança "manual" sobre selfies seguras após série de mortes

A polícia russa lançou esta terça-feira um "manual" sobre como tirar 'selfies' mais seguras, após uma dúzia de mortes e cerca de 100 pessoas feridas este ano devido a poses arriscadas enquanto se auto-fotografavam.

"Uma 'selfie' espetacular pode custar-lhe a vida", alerta um panfleto produzido pelo Ministério do Interior. (Arquivo)

"Uma 'selfie' espetacular pode custar-lhe a vida", alerta um panfleto produzido pelo Ministério do Interior. (Arquivo)

© Sergei Karpukhin / Reuters

"Uma 'selfie' espetacular pode custar-lhe a vida", alerta um panfleto produzido pelo Ministério do Interior. 

O "manual" surge depois de uma série de casos, como o de uma jovem de 21 anos que disparou um tiro na própria cabeça quando tirava uma 'selfie'. O acidente não foi mortal, mas a jovem mulher ficou gravemente ferida.  

Em janeiro, na região dos montes Urais, dois jovens morreram na explosão de uma granada quando se faziam fotografar segurando uma granada de mão à qual retiraram o pino de segurança. O telemóvel com a 'selfie' "sobreviveu" à explosão e revelouo acontecido.

Em maio, um adolescente da região de Ryazan, a sudeste de Moscovo, morreu quando acidentalmente entrou em contato com cabos elétricos ao tentar tirar uma fotografia a escalar uma ponte de caminho de ferro. 

"Infelizmente temos vindo a notar um aumento continuado do número de acidentes causados pelos amantes das 'selfies'", disse Yelena Alexeyeva, assessora do ministro do Interior russo.

 "Antes de tirar uma 'selfie', todas as pessoas deveriam pensar que a corrida para obterem o maior número de 'likes' (nas redes sociais pode) levá-los a uma viagem mortal e tornar póstuma a sua mais recente fotografia espetacular", sublinhou.

O panfleto em forma de manual faz parte de uma campanha, que inclui também um vídeo e conselhos na página da Internet do Ministério do Interior.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18