sicnot

Perfil

Mundo

Arqueólogos japoneses descobrem 24 novos geóglifos no Peru

Uma equipa de arqueólogos japoneses descobriu 24 novos geóglifos no deserto peruano de Nazca, que podem figurar entre os mais antigos da zona, confirmaram hoje os investigadores da Universidade de Yamagata à agência Efe.

Universidade de Yamagata

Universidade de Yamagata

Estas formas geométricas traçadas no solo foram encontradas a um quilómetro e meio a norte da cidade de Nazca e incluem uma figura parecida a uma chama e outras representações menos reconhecíveis que remontariam aos séculos III e V antes de Cristo, segundo os cientistas da universidade japonesa.  

O maior geóglifos encontrado, com cerca de 20 metros de comprimento, tem uma aparência zoomórfica, segundo os investigadores que fizeram a descoberta durante a mais recente investigação em Nazca, levada a cabo entre os meses de dezembro e janeiro.

Esta descoberta foi comunicada ao Governo do Peru, tendo sido também apresentada numa conferência de imprensa em Yamagata, no norte do Japão. 

A equipa da universidade começou a investigar no terreno em Nazca em 2004, tendo desde então encontrado 41 figuras, as quais foram reconhecidas como Património da Humanidade pela UNESCO.

Estes geóglifos estão atualmente ameaçados pela "expansão das áreas urbanas", alertou o arqueólogo Masato Sakai, responsável pela investigação, destacando a necessidades de os "preservar" e de "partilhar a sua importância com a população local", em declarações reproduzidas pela agência nipónica Kyodo.

Apesar da sua antiguidade, estas célebres e enigmáticas figuras foram descobertas só depois de 1930 porque a planície da superfície do deserto só permitia que os desenhos se vissem na íntegra a partir do ar ou de colinas circundantes.

A confirmar-se a data estimada pelos arqueólogos japoneses tratar-se-ia das mais antigas representações de algumas das obras mais conhecidas das Linhas de Nazca, como beija-flores ou macacos.

Património Mundial da UNESCO desde 1994, as Linhas de Nazca, com mais de 2.000 anos de antiguidade, são representações de figuras de diferentes complexidades, que vão desde simples linhas até imagens de animais e plantas, no deserto de Nazca, no Peru.

  • Sessão solene no Parlamento e desfile popular nas celebrações do 25 de Abril

    País

    Os 43 anos da Revolução dos Cravos são hoje comemorados com a sessão solene no Parlamento e o tradicional desfile popular, tendo o Presidente da República escolhido o 25 de Abril para condecorar, a título póstumo, Francisco Sá Carneiro. A SIC Notícias acompanha esta manhã a sessão solene na Assembleia da República. Veja aqui em direto.

  • Desconhecem-se as causas do incêndio na fábrica da Tratolixo
    0:43

    País

    Os moradores de Trajouce, em São Domingos de Rana, não ganharam para o susto com um incêndio nas instalações da empresa de resíduos Tratolixo.O alerta foi dado por populares e trabalhadores da empresa. O vento foi o maior problema dos bombeiros no combate às chamas durante a noite. No local estiveram 133 homens, apoiados por 51 viaturas.Desconhecem-se para já as causas do incêndio. O incêndio foi circunscrito de madrugada, mas pode demorar algumas horas a ser dominado.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Duas execução no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.