sicnot

Perfil

Mundo

BRICS reúnem-se na Rússia com Ucrânia, Grécia e terrorismo na agenda

Os líderes dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) iniciam hoje na Rússia uma cimeira de dois dias para discutir a crise da Grécia, a situação na Ucrânia e a ameaça do grupo Estado Islâmico.

Reuters

"Durante um almoço de trabalho fechado, os líderes tratarão de toda a atualidade da agenda internacional, incluindo a Ucrânia, Grécia e a ameaça terrorista por parte do Estado Islâmico (ISIS, na sigla em ingês)", anunciou na segunda-feira um assessor do Presidente russo Vladimir Putin, referindo que a cimeira terá lugar em Ufa, sudoeste da Rússia.

O tema central do encontro dos líderes do grupo de países com economias emergentes será, no entanto, "a situação económica e o mundo", bem como a cooperação económica dos BRICS no seio do G20, acrescentou o porta-voz de Vladimir Putin.

A intenção da Rússia, que acolhe este ano a 15ª cimeira dos BRICS, é impulsionar a dimensão política deste fórum que nasceu com uma vocação eminentemente económica, e aumentar a cooperação entre estes países para potenciar a competitividade.

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.