sicnot

Perfil

Mundo

Berlusconi escapa ao cumprimento de três anos de prisão

Um tribunal de Nápoles condenou esta quarta-feira o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi a três anos de prisão por corrupção de um senador, mas a pena que não poderá ser aplicada, noticiou a agência France Presse.

A condenação, proferida pela presidente do tribunal Isabella Romani na ausência do acusado, não será aplicada, já que o delito de que Berlusconi é acusado prescreve este outono, muito antes de um eventual julgamento em sede de recurso. (Arquivo)

A condenação, proferida pela presidente do tribunal Isabella Romani na ausência do acusado, não será aplicada, já que o delito de que Berlusconi é acusado prescreve este outono, muito antes de um eventual julgamento em sede de recurso. (Arquivo)

© Stefano Rellandini / Reuters

A condenação, proferida pela presidente do tribunal Isabella Romani na ausência do acusado, não será aplicada, já que o delito de que Berlusconi é acusado prescreve este outono, muito antes de um eventual julgamento em sede de recurso. 

"É um bom processo, apaixonante, mas a iminente prescrição elimina, do ponto de vista das consequências, todo o pathos sobre o veredito", declarou o procurador Henry John Woodcock.

Segundo os meios de comunicação italianos, a prescrição do processo ocorrerá em outubro ou, o mais tardar, em novembro.

O caso remonta às eleições legislativas de 2006, ganhas pela coligação de esquerda liderada por Romano Prodi, que obteve uma pequena maioria no Senado.

Poucos meses depois das eleições, Sergio De Gregorio, senador eleito num dos partidos da coligação de Romano Prodi, o IDV, deixou este partido juntando-se ao de Silvio Berlusconi.

Esta decisão deixou ainda mais fragilizada a maioria governamental e acelerou a queda do governo de esquerda, ocorrida em 2008, menos de dois anos depois do escrutínio.

Segundo a acusação, Berlusconi pagou três milhões de euros, dois dos quais em bens, a Sergio De Gregorio para que abandonasse o partido. Sergio De Gregorio confessou perante os magistrados e a imprensa os factos que lhe foram imputados.

De acordo com o procurador Vincenzo Piscitelli, tratou-se de um "investimento económico colossal para conseguir o único resultado que interessava a Berlusconi, que estava obcecado com o desejo de mandar Romano Prodi para casa de modo a ocupar o seu lugar".

Lusa

  • Hoje joga Portugal (mas antes há um Uruguai-Rússia em direto na SIC)

    Mundial 2018 / O Mundial

    Começa a última jornada da fase de grupos do Mundial, com quatro jogos por dia. Às 15:00, numa partida transmitida em direto na SIC, a anfitriã Rússia e o Uruguai resolvem qual poderá ser o adversário de Portugal nos oitavos de final. Isto, dependendo claro da prestação da seleção nacional frente ao Irão, ao fim da tarde, uma vez que a qualificação não está garantida (e pode até depender do resultado do Espanha-Marrocos).

  • Gato reencontra dono 10 anos depois de ter desaparecido

    Mundo

    A Blue Cross recolheu no mês passado um gato que tinha sido dado como desaparecido em 2008, num altura em que o dono Mark Salisbury residia em Ipswich, Suffolk, no Reino Unido. Graças ao microchip de Harry, a associação britânica que se dedica à proteção animal, conseguiu localizar Salisbury, que agora vive em Gloucestershire.

  • "É a primeira vez que vai ser testado o programa do Nuno Crato"
    0:57

    País

    Os alunos do 11º e 12º anos de escolaridade fazem hoje o exame de matemática, uma das provas mais importantes no acesso à universidade e para a conclusão do ensino obrigatório. No final do secundário, são quase 50 mil os alunos que hoje fazem a prova que acarreta algumas alterações instituídas ainda pelo ex-ministro Nuno Crato, como explicou à SIC Notícias o diretor do Liceu Camões, em Lisboa.

  • "Isto é a demagogia à solta"
    0:45

    Opinião

    Quem o diz é Luís Marques Mendes a propósito da aprovação esta semana da lei do CDS-PP que elimina o adicional do imposto sobre os combustíveis. O comentador da SIC critica a oposição por ter levado a votação uma lei inconstitucional e acusa ainda os parceiros de Governo de deslealdade. 

    Luís Marques Mendes