sicnot

Perfil

Mundo

Berlusconi escapa ao cumprimento de três anos de prisão

Um tribunal de Nápoles condenou esta quarta-feira o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi a três anos de prisão por corrupção de um senador, mas a pena que não poderá ser aplicada, noticiou a agência France Presse.

A condenação, proferida pela presidente do tribunal Isabella Romani na ausência do acusado, não será aplicada, já que o delito de que Berlusconi é acusado prescreve este outono, muito antes de um eventual julgamento em sede de recurso. (Arquivo)

A condenação, proferida pela presidente do tribunal Isabella Romani na ausência do acusado, não será aplicada, já que o delito de que Berlusconi é acusado prescreve este outono, muito antes de um eventual julgamento em sede de recurso. (Arquivo)

© Stefano Rellandini / Reuters

A condenação, proferida pela presidente do tribunal Isabella Romani na ausência do acusado, não será aplicada, já que o delito de que Berlusconi é acusado prescreve este outono, muito antes de um eventual julgamento em sede de recurso. 

"É um bom processo, apaixonante, mas a iminente prescrição elimina, do ponto de vista das consequências, todo o pathos sobre o veredito", declarou o procurador Henry John Woodcock.

Segundo os meios de comunicação italianos, a prescrição do processo ocorrerá em outubro ou, o mais tardar, em novembro.

O caso remonta às eleições legislativas de 2006, ganhas pela coligação de esquerda liderada por Romano Prodi, que obteve uma pequena maioria no Senado.

Poucos meses depois das eleições, Sergio De Gregorio, senador eleito num dos partidos da coligação de Romano Prodi, o IDV, deixou este partido juntando-se ao de Silvio Berlusconi.

Esta decisão deixou ainda mais fragilizada a maioria governamental e acelerou a queda do governo de esquerda, ocorrida em 2008, menos de dois anos depois do escrutínio.

Segundo a acusação, Berlusconi pagou três milhões de euros, dois dos quais em bens, a Sergio De Gregorio para que abandonasse o partido. Sergio De Gregorio confessou perante os magistrados e a imprensa os factos que lhe foram imputados.

De acordo com o procurador Vincenzo Piscitelli, tratou-se de um "investimento económico colossal para conseguir o único resultado que interessava a Berlusconi, que estava obcecado com o desejo de mandar Romano Prodi para casa de modo a ocupar o seu lugar".

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagas as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Presidente da Câmara de Nova Iorque confirma "atentado terrorista falhado"
    0:29
  • Israel volta a bombardear posições do Hamas em Gaza

    Mundo

    O exército israelita voltou a bombardear esta segunda-feira posições do movimento Hamas na Faixa de Gaza em resposta ao lançamento de projéteis em direção a Israel pelas milícias palestinianas, informou um comunicado militar.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.