sicnot

Perfil

Mundo

Dezenas de mortos e feridos em confrontos no sul da Argélia

O Presidente argelino convocou uma reunião urgente de dirigentes do setor de segurança no seguimento da morte de 22 pessoas e ferimentos em dezenas de outras, em resultado de confrontos entre árabes e berberes no sul do país.

A decisão de Abdelaziz Bouteflika, noticiada pela agência noticiosa do país, APS, seguiu-se à violência ocorrida em menos de 48 horas na região de Ghardaia, que tem sido palco de conflitos regulares entre árabes e berberes desde há dois anos e meio. 

Na reunião participaram o primeiro-ministro, Abdelmalek Sellal, o vice-ministro da Defesa Nacional, Ahmed Gaid Salah, e o chefe do Estado-Maior do Exército, general Ahmed Gaïd Salah.

No final do encontro foi revelado que Bouteflika encarregou o comandante da região militar que inclui a zona dos conflitos de "supervisionar a ação dos serviços de segurança e das autoridades locais relevantes para o restabelecimento e a preservação da ordem pública em Ghardaia", conforme um comunicado da Presidência. 

Os voos de Argel para Ghardaia foram anulados até sábado, disse á AFP um empregado do aeroporto. A transportadora aérea Air Algérie, que os realiza, não forneceu qualquer explicação. 

As violências nas últimas 24 horas concentraram-se na cidade de Guerrara, situada 120 quilómetros a nordeste de Ghardaia, uma das principais cidades mozabitas, que são uma minoria étnico-religiosa berbere e ibadita.

Na quarta-feira, os confrontos prosseguiam em Ghardaia, uma cidade turística célebre pela sua arquitetura e classificada como património mundial pela Unesco. 

Ainda não foram divulgadas as causas desta onda de violência. 

Numerosos diferendos, em particular de ordem fundiária, opõem árabes e berberes, que coabitam há séculos. 

A região assiste em particular a uma luta pela apropriação do espaço público cada vez mais reduzido, com a liberalização económica em pano de fundo. 

A forte urbanização, seguida pela chegada de novos habitantes, ameaça o equilíbrio demográfico que é largamente favorável aos mozabitas, que permanecem maioritários neste vale, situado às portas do Sara. 

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagas as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Presidente da Câmara de Nova Iorque confirma "atentado terrorista falhado"
    0:29
  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.