sicnot

Perfil

Mundo

Europa recebeu mais de 660 mil pedidos de asilo em 2014

Mais de 660.000 pessoas pediram asilo a países europeus em 2014, o número mais alto registado, e, no final do ano, mais de 500.000 candidatos aguardavam uma decisão sobre o seu pedido, segundo um relatório hoje divulgado. 

Refugiados afegãos atravessam ilegalmente a fronteira entre a Sérvia e a Hungria.

Refugiados afegãos atravessam ilegalmente a fronteira entre a Sérvia e a Hungria.

© Laszlo Balogh / Reuters

A maioria dos pedidos de asilo foi apresentada por cidadãos da Síria (128.000), Balcãs Ocidentais (110.000) e Eritreia (47.140), segundo o relatório anual do Gabinete Europeu de Apoio ao Asilo (EASO) sobre os pedidos de proteção internacional apresentados a Estados membros da União Europeia, à Noruega e à Suíça (UE+). 

Além da Síria, cujo importante número de pedidos representou "um enorme desafio para a UE+", outros países palco de conflitos registaram um aumento significativo em relação a 2013, como o Afeganistão, país de origem de 42.745 candidatos, mais 53% que no ano anterior, e a Ucrânia, com mais de 14.000 pedidos, 13 vezes o número registado em 2013. 

Do Afeganistão, por outro lado, chegou também o maior número de pedidos de asilo de menores não-acompanhados (6.155).

Os principais países de acolhimento foram a Alemanha (202.645), Suécia (81.180), Itália (64.625), França (64.310) e Hungria (42.775).  

Contrariamente a Itália, terceiro país mais requisitado pelos candidatos a asilo, os dois outros países mais atingidos pela crise migratória no Mediterrâneo, Grécia e Malta, estão em 14.º e 21.º lugar da tabela de receção de pedidos, com 9.430 e 1.350 pedidos respetivamente. 

Apesar da tendência geral de aumento, Portugal registou em 2014 uma redução do número de pedidos, 440 contra 510 em 2013. Desses, apenas 40 tiveram resposta favorável naquele período de tempo.

A Lituânia registou o mesmo número de pedidos que Portugal, mas autorizou mais (50). Atrás figuram a Eslovénia (385), a Letónia (375), a Eslováquia (330) e a Estónia (155). 

No final do ano, mais de 500.000 pessoas aguardavam resposta ao pedido apresentado, número que inclui recursos, apesar de um aumento de 10% no número de decisões de primeira instância, que foram 390.000 em 2014.

A maioria das decisões favoráveis foi relativa a pedidos apresentados por sírios, eritreus e apátridas.

No conjunto dos 30 países analisados, apenas cerca de um terço dos pedidos apresentados teve resposta favorável.

O relatório do EASO avalia as principais tendências em matéria de asilo, quer quanto à proveniência dos candidatos quer quanto aos países mais requisitados, a capacidade de acolhimento dos Estados membros e a evolução dos sistemas de asilo nacionais.

No texto de apresentação do relatório, o EASO sublinha que os números já disponíveis para 2015 mostram que o total de pedidos de proteção internacional continua a aumentar.

"Nos primeiros cinco meses deste ano, registou-se um aumento de 68% do número de pedidos de proteção internacional na UE+", lê-se no documento, que regista por outro lado a emergência de novas tendências, com o Kosovo como país de origem da maioria dos pedidos apresentados entre janeiro e maio de 2015.

Lusa

  • O drama dos refugiados sírios e africanos que chegam a Calais, França
    2:47

    Mundo

    O drama dos refugiados sírios e africanos que chegam à fronteira de Calais parece não ter fim à vista. Muitos deles acabam a dormir nas ruas e praças da cidade francesa à espera de um milagre que lhes permita chegar a Inglaterra. A SIC testemunhou o momento em que a polícia de intervenção francesa expulsou um grupo de emigrantes sírios da praça principal.

  • Guterres admite falta de capacidade de resposta para afluxo recorde de migrantes
    1:12

    Mundo

    O ano de 2014 bateu todos os recordes de refugiados no mundo. 60 milhões de pessoas fugiram da guerra e da violência fora de controlo no ano passado e levou as Nações Unidas e em especial o alto comissário para os refugiados, António Guterres, a admitir que já não há capacidade de respostas para este afluxo de migrantes. É o maior aumento de sempre, num só ano, como explicou António Guterres na Turquia.

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • "Avançámos em primeiro lugar com incentivos às empresas"
    18:07

    Economia

    O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, esteve na Edição da Noite da SIC Notícias para falar do que pode ser feito depois da tragédia dos incêndios que assolou o país na última semana. O governante diz que já avançou com incentivos às empresas afetadas e que neste momento o mais importante é preservar a segurança das pessoas.

    Entrevista SIC Notícias

  • Santana Lopes lamenta que Rui Rio tenha recusado debates com as bases do PSD
    0:40

    País

    Pedro Santana Lopes lamenta que Rui Rio tenha recusado a realização de debates com as bases do partido. Fernando Negrão, responsável pela candidatura de Santana Lopes à presidência do PSD, já tinha advertido em comunicado que a posição de Rui Rio poderia também inviabilizar quaisquer outros frente a frente, incluindo os organizados pela comunicação social. Santana Lopes está na Guarda, no primeiro jantar com apoiantes desde que anunciou a candidatura.

  • Tudo o que precisa saber sobre a moção de censura

    País

    O Governo minoritário do PS enfrenta na terça-feira a sua primeira moção de censura, a 29.ª em 43 anos de democracia, mas PCP, BE e PEV já anunciaram que vai "chumbar" a iniciativa do CDS-PP. Esta é a sétima moção de censura apresentada pelo CDS-PP e a 29.ª a ser discutida na Assembleia da República. Os três partidos de esquerda que têm apoiado o executivo, PCP, BE e PEV, já anunciaram que votam contra. Com os votos do PS, a moção é chumbada.

  • Gémeas correm risco de vida se não saírem de Gaza

    Mundo

    Duas irmãs gémeas siamesas correm risco de vida enquanto permanecerem em Gaza. Quem diz é o médico Alam Abu Hamba, do Hospital de Shifra, que garante que "situação complicada" das meninas não pode ser tratada por médicos no território costeiro, atulamente bloqueado pelo Egito e por Israel. Abu Hamba espera que o casal de gémeas possa ser transferido para fora da separação.

  • Encontrado corpo de menina posta de castigo na rua pelo pai

    Mundo

    Sherin Mathews estava desaparecida desde o dia 7 de outubro. Este domingo a polícia do estado norte-americano do Texas encontrou o corpo de uma criança que acreditam ser a menina de três anos, desaparecida depois de o pai a colocar de castigo na rua, durante a madrugada.

    SIC