sicnot

Perfil

Mundo

Grupo Estado Islâmico pirateia página do Observatório Sírio de Direitos Humanos

Simpatizantes do grupo extremista Estado Islâmico (EI) piratearam a página na Internet do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, indicou hoje o diretor desta organização não-governamental, Rami Abderrahman.

© Mal Langsdon / Reuters

O responsável da ONG síria precisou que o autodenominado "Ciberexército do Califado" colocou no sítio da internet uma fotomontagem dele, ajoelhado e vestido com um fato-macaco cor de laranja, juntamente com um verdugo dos 'jihadistas', que tem uma mão no seu pescoço enquanto na outra segura uma faca.

Numa mensagem em árabe e inglês, os extremistas afirmam que "num ataque surpresa, o 'Ciberexército do Califado' entrou na página eletrónica do chamado Observatório Sírio dos Direitos Humanos e destruiu toda a sua informação".

Neste momento, não é possível aceder ao sítio na Interne da ONG, com sede no Reino Unido mas que tem uma vasta rede de ativistas a operar em território sírio.

Abderrahman confirmou que os piratas informáticos eliminaram todos os dados que a página eletrónica continha, embora tenha acrescentado que os perfis das redes sociais Twitter e Facebook da organização continuam a funcionar.

O Observatório é um dos poucos grupos sírios que informam sobre o que se passa no terreno nas zonas dominadas pelo EI na Síria, além de documentar casos em áreas sob o controlo do regime de Bashar al-Assad e de outras organizações armadas.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19