sicnot

Perfil

Mundo

"Dramático aumento do discurso de ódio na internet"

A Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância (ECRI, na sigla em Inglês) do Conselho da Europa alertou hoje para o "aumento dramático" na internet do discurso do ódio, do antissemitismo e da islamofobia. 

Captura de ecrã da página de Twitter do Comando Central dos EUA pirateado por simpatizantes do grupo jihadista Estado Islâmico, em Janeiro de 2015.

Captura de ecrã da página de Twitter do Comando Central dos EUA pirateado por simpatizantes do grupo jihadista Estado Islâmico, em Janeiro de 2015.

© Handout . / Reuters

Segundo o seu relatório anual de 2014, publicado hoje, a origem deste aumento está nos "conflitos do Médio Oriente, movimentos islamitas violentos e chegada massiva de imigrantes à Europa". 

A ECRI, que analisa o racismo, a xenofobia e a intolerância nos Estados que integram o Conselho de Europa, recorda que o discurso do ódio se difunde rapidamente nas redes sociais, onde "a sua audiência pode ser maior do que a da imprensa escrita extremista". 

O secretário-geral do Conselho de Europa, Thorbjorn Jagland, assinalou que "se enfrentam muitas crises, mas o crescente fenómeno do antissemitismo, da islamofobia e do racismo são as maiores ameaças ao futuro da Europa".  

Jagland defende que "os líderes políticos devem tomar ações decisivas para travar esta perigosa tendência". 

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.