sicnot

Perfil

Mundo

Terceiro prolongamento para se obter acordo com Irão sobre nuclear

A União Europeia (UE) aprovou hoje um novo prolongamento, até dia 13, das difíceis negociações sobre o programa nuclear iraniano em Viena, quando o prazo para se conseguir um acordo histórico já foi prolongado duas vezes.

Ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano (à direita) e delegação iraniana na varanda do palácio em Viena onde decorrem as negociações.

Ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano (à direita) e delegação iraniana na varanda do palácio em Viena onde decorrem as negociações.

© Leonhard Foeger / Reuters

"Visando dar mais tempo às negociações em curso para se encontrar uma solução a longo termo para a questão nuclear iraniana", o Conselho Europeu, que representa os 28 Estados membros, "prolongou até 13 de julho de 2015 a suspensão de medidas restritivas da UE" contra o Irão, indicou num comunicado.

A UE suspendeu em janeiro de 2014 algumas sanções contra o Irão em sinal de boa vontade no quadro destas negociações. 

As grandes potências do grupo 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança -- Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China -- mais a Alemanha) e o Irão estão reunidos há duas semanas na capital austríaca para tentarem concluir um acordo sobre o dossier que "envenena" as relações internacionais há mais de 12 anos. 

As negociações, iniciadas há perto de dois anos e que inicialmente deviam ser concluídas até 30 de junho, já foram prolongadas por duas vezes desde essa data e o último prazo terminava hoje à noite. 

O chefe da diplomacia britânica, Philip Hammond, já tinha dito hoje que os ministros deveriam voltar a reunir-se no sábado para tentar "ultrapassar os últimos obstáculos".

As negociações avançam, mas continuam "penosamente lentas", explicou. 

O acordo final deve garantir o caráter pacífico do programa nuclear iraniano, em troca de um levantamento das sanções internacionais que afetam a economia do Irão.

As sanções da UE suspensas no quadro destas negociações dizem respeito a setores-chave da economia iraniana como os produtos petroquímicos, o comércio de ouro e de metais preciosos e as transferências financeiras. 

Este abrandamento respondeu a um compromisso de Teerão de congelar uma parte das suas atividades nucleares sob a vigilância dos inspetores da Agência Internacional de Energia Atómica.

Não incluiu as sanções mais pesadas contra Teerão, como o embargo à venda de armas, a proibição de empréstimos governamentais às autoridades iranianas ou as exportações de petróleo e de gás. Além destas, a UE determinou a proibição de vistos a 94 pessoas e congelou os bens na Europa de 471 entidades, entre as quais o Banco Central iraniano.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.