sicnot

Perfil

Mundo

"Estado Islâmico" reivindica atentado contra consulado italiano no Cairo

O grupo "jihadista" autodenominado Estado Islâmico (EI) reivindicou o atentado deste sábado contra o consulado italiano no Cairo, que fez um morto, segundo o centro de vigilância dos "sites" islamitas.

Este foi o primeiro atentado visando uma missão diplomática desde o início, há dois anos, de uma vaga de atentados "jihadistas" no Egito.

Este foi o primeiro atentado visando uma missão diplomática desde o início, há dois anos, de uma vaga de atentados "jihadistas" no Egito.

© Mohamed Abd El Ghany / Reuters

Segundo a mesma fonte, o EI apelou aos muçulmanos para permanecerem longe dos "ninhos de segurança".

"Os soldados do EI fizeram detonar uma viatura armadilhada com 450 quilogramas de explosivos" em frente ao consulado da Itália, na capital egípcia, afirmou a organização "jihadista", num comunicado publicado na rede social "Twitter", segundo a mesma fonte citada pela AFP.

A explosão deu-se pelas 06:30 locais (05:30 em Lisboa), destruindo parte da fachada do consulado que se encontrava fechado, localizado no centro do Cairo, tendo causado um morto e nove feridos.

No mesmo comunicado o EI afirma: "Aconselhamos os muçulmanos a ficar longe desses ninhos de segurança que são alvos legítimos para os 'mujahedin'".

Este foi o primeiro atentado visando uma missão diplomática desde o início, há dois anos, de uma vaga de atentados "jihadistas" no Egito.

Lusa

  • Protestos e violência no Rio de Janeiro
    1:08
  • Marcelo diz que a Europa precisa de paixão
    2:36
  • Cogumelos alucinogénios entre as drogas mais seguras

    Mundo

    Os cogumelos alucinogénios são considerados uma das drogas mais seguras, quando consumidos para fins recreativos. A conclusão é avançada no Global Drug Survey, um estudo anual divulgado esta quarta-feira sobre os hábitos de consumo de drogas de quase 120 mil pessoas em 50 países.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.