sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 15 mil civis mortos no Iraque desde início da guerra contra grupo Estado Islâmico

Pelo menos 15.000 civis foram mortos e cerca de 30.000 ficaram feridos no Iraque desde o início da guerra contra os 'jihadistas' do grupo Estado Islâmico (EI) em 2014, indica um relatório da ONU divulgado hoje. 

© STRINGER Iraq / Reuters

O balanço é provavelmente bastante mais pesado, sublinha a ONU, dado que aqueles números, até abril, incluem apenas as vítimas que a organização foi capaz de verificar.

No "Relatório sobre a proteção dos civis no conflito armado no Iraque" refere-se "pelo menos 44.136 vítimas civis, entre as quais 14.947 mortos". 

Milhares de combatentes iraquianos e de 'jihadistas' do EI morreram durante o mesmo período, mas não existem estatísticas oficiais.

O Iraque conta ainda com mais de três milhões de deslocados desde o início do conflito, segundo a Organização Internacional para as Migrações.

O conflito iniciou-se no princípio de 2014 com uma grande ofensiva dos 'jihadistas' na província de al-Anbar, a oeste de Bagdade. O EI conquistou depois vastos territórios, nomeadamente no norte, onde assumiu o controlo de Mossul, a segunda cidade do país.

As forças governamentais, com a ajuda dos ataques aéreos da coligação internacional, tentam há vários meses recuperar aqueles territórios.

Lusa

  • Francês detido em Antuérpia "queria matar"

    Mundo

    O Presidente de França François Hollande afirmou que o francês detido esta quinta-feira por conduzir um automóvel a grande velocidade na principal rua pedonal de Antuérpia, na Bélgica, "queria matar" ou "provocar um acontecimento dramático".

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27
  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.