sicnot

Perfil

Mundo

Família de negro morto pela polícia nos EUA vai ser indemnizada em 5,9 milhões de dólares

As autoridades de Nova Iorque anunciaram, na segunda-feira, um acordo amigável que prevê o pagamento de uma indemnização de 5,9 milhões de dólares à família de um homem negro morto há um ano após uma agressão policial.

A morte de Eric Garner e de Michael Brown desencadeou uma onda de massivos protestos nos EUA.

A morte de Eric Garner e de Michael Brown desencadeou uma onda de massivos protestos nos EUA.

© Elizabeth Shafiroff / Reuters

Em nota oficial, o dirigente da agência de controlo financeiro de Nova Iorque, Scott Stringer, indica que a cidade e os herdeiros de Garner decidiram resolver a disputa tendo em conta "os melhores interesses para todas as partes", depois de uma minuciosa revisão dos factos.

Eric Garner, de 43 anos, com seis filhos, morreu em 17 de julho de 2014. Suspeito de venda ilegal de cigarros, foi derrubado e manietado no solo por vários agentes brancos, dos quais um o segurou pelo pescoço, uma prática proibida pela polícia nova-iorquina, após oferecer resistência à detenção.

Obeso e asmático, queixou-se, por várias vezes, de não conseguir respirar antes de perder os sentidos, numa cena filmada por uma testemunha. Pouco depois, já no hospital, foi declarado o óbito.

O acordo amigável alcançado com os familiares da vítima evita a possibilidade de o caso seguir para tribunal, depois de a ação civil interposta, em outubro, por danos relacionados com a morte de Eric Garner.

Em 03 de dezembro, um júri decidiu não processar o agente implicado na morte -- esgotando a via penal --, mas manteve-se aberta a possibilidade de reclamar uma indemnização por danos civis.

A morte de Eric Garner e de Michael Brown (em 13 de agosto, em Ferguson, estado do Missouri), desencadeou uma onda de massivos protestos nos Estados Unidos, elevando as tensões raciais no país para níveis que não viam há uma série de décadas.

O caso de Garner "obrigou-nos a analisar o estado das relaciones raciais e a relação entre a nossa força policial e as pessoas a que deve servir", afirmou Scott Stringer no mesmo comunicado que não faculta, porém, detalhes sobre o acordo.

Segundo 'media' locais, a família de Garner recusou uma oferta prévia de 5 milhões de dólares como compensação para encerrar o caso.

Quando apresentaram a demanda civil, os familiares reclamaram 75 milhões de dólares em danos, numa ação que visava oito agentes, a cidade de Nova Iorque e a sua polícia.

  • Assalto à base militar de Tancos
    0:42

    País

    Várias granadas e munições foram roubadas dos paióis da base militar de Tancos. A Polícia Judiciária Militar já está a investigar.

  • Detido antigo diretor regional do BES na Madeira

    Queda do BES

    Foi detido o antigo diretor do Banco Espírito Santo da Madeira, no âmbito do chamado processo ao Universo GES. João Alexandre Silva tinha sido também o representante do BES na Venezuela, onde a instituição portuguesa abriu várias agências em diversas cidades e tinha cerca de 7600 clientes domiciliados.

    Notícia SIC

  • Couves, arroz integral e bróculos biológicos com pesticidas sintéticos
    2:29
  • ASAE apreende leite com água oxigenada para fabrico de queijo

    Economia

    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu leite com água oxigenada, destinado ao fabrico de queijo. As investigações decorreram nos últimos dois meses e foram dirigidas a vários produtores de leite. As investigações iniciaram-se com a deteção de uma viatura para transporte do leite sem qualquer sistema de refrigeração.

  • Crise na Venezuela faz aumentar casos de desnutrição infantil
    2:13
  • Mulher mata namorado em brincadeira com arma no Youtube

    Mundo

    Uma mulher do Minnesota, nos EUA, está a ser acusada de disparar mortalmente sobre o namorado quando ambos faziam um vídeo para publicar no Youtube. Monaliza Perez, de 20 anos, foi detida depois de disparar sobre Pedro Ruiz, que segurava um livro junto ao seu peito, confiante que seria o suficiente para parar a bala.

  • Comissão Europeia adota plano contra resistência a antibióticos

    Mundo

    A Comissão Europeia adotou, hoje, um plano para combater a resistência aos antibióticos, uma ameaça que mata anualmente 25 mil pessoas na União Europeia (UE) e custa 1,5 mil milhões de euros. Em paralelo ao plano, apresenta ainda regras para um "uso prudente de antibióticos".