sicnot

Perfil

Mundo

Firmado "roteiro" que permite investigação sobre programa nuclear iraniano

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) anunciou hoje ter assinado com Teerão "um roteiro" que permite investigar as suspeitas sobre eventuais esforços feitos no passado para desenvolver de armas nucleares por parte do Irão.

Reuters

"Acabei de assinar o roteiro entre a República Islâmica do Irão e a AIEA para esclarecer questões pendentes -- do passado e do presente -- relacionadas com o programa nuclear iraniano", disse Yukiya Amano, saudando o "significativo avanço", antes do esperado anúncio de um acordo histórico entre Teerão e as principais potências mundiais.

A última sessão plenária entre o Irão e o chamado Grupo 5+1 -- os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (EUA, Rússia, China, França e Reino Unido) mais a Alemanha -- teve início às 08:30 locais (09:30 em Lisboa) na sede da ONU em Viena.

O derradeiro encontro no quadro das negociações sobre o complexo dossiê vai ser seguido de uma conferência de imprensa.

O Irão e o Grupo 5+1 têm vindo a negociar um acordo duradouro que garanta que Teerão não tenta obter uma bomba atómica, recebendo como contrapartida um levantamento das sanções económicas que lhe foram impostas.

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50