sicnot

Perfil

Mundo

Onda de repulsa no Bangladesh após vídeo que mostra tortura mortal de menor

Milhares de pessoas mobilizaram-se hoje nas ruas e nas redes sociais no Bangladesh, numa onda de repulsa pelo linchamento mortal de um menino de 13 anos, cujo vídeo se tornou viral.

O menino, identificado como Samiul Rajon, foi agredido por pelo menos quatro pessoas na passada quarta-feira na cidade setentrional de Sylhet, após ter sido acusado de roubar, segundo explicou o comissário da polícia local, Kamrul Husain, indicando que três pessoas foram entretanto detidas.

Segundo os resultados da autópsia, o menor morreu devido a uma hemorragia cerebral e apresentava mais de 60 feridas no corpo.

Os agressores gravaram um vídeo de 28 minutos, que foi publicado no Facebook, em que se vê o menino a ser golpeado por uma espécie de bastão em repetidas ocasiões e em diferentes partes do corpo, enquanto se encontra atado a um poste de uma paragem de autocarros.

Nas imagens, o menor suplica, cai no chão, com o choro e os gritos a misturarem-se com as gargalhadas do grupo que o tortura.

Segundo o jornal local The Daily Star, quando Samiul Rajon morreu, os agressores tentaram transportar o seu corpo num pequeno autocarro para um lugar distante, mas chamaram a atenção de alguns moradores da zona, colocando-se em fuga após serem perseguidos.

"Um dos agressores foi detido no mesmo dia do crime. Ontem [segunda-feira] foram detidas mais duas pessoas: uma no Bangladesh e outra, que também participou na tortura, na Arábia Saudita, depois de ter escapado para esse país", disse o comissário, adiantando que várias pessoas estão a ser interrogadas.

A polícia formou um grupo especial para investigar o assassínio, que desencadeou uma onda de repulsa nas ruas, com manifestações em vários pontos do país, incluindo na capital, Daca, prevendo-se novas mobilizações nas próximas horas.

Diversas páginas foram criadas no Facebook em homenagem Rajon, enquanto no Twitter se criou uma hashtag #JusticeForRajon. Uma iniciativa, que pede ao Governo do Bangladesh que tome medidas rapidamente, lançada através da plataforma Change.org já recolheu quase 7.000 assinaturas.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.