sicnot

Perfil

Mundo

Onda de calor chega ao Japão e mata 5 pessoas

Cinco pessoas morreram e mais de 3.000 outras tiveram que ser hospitalizadas no Japão devido a uma onda de calor que tem afetado o país na última semana, informaram hoje os 'media' locais.

© Yuya Shino / Reuters

A onda de calor tem sido registada em grande parte do arquipélago, tendo a temperatura superado os 39 graus centígrados em Gunma e Fukushima (centro), acompanhados por uma humidade superior a 63%.

Além das cinco vítimas mortais, todas de avançada idade, foram hospitalizadas cerca de 3.200 pessoas em todo o país nos últimos oito dias, com sintomas relacionados com as elevadas temperaturas, metade das quais com idade igual ou superior a 65 anos, segundo dados oficiais citados pela agência Kyodo.

Do total, oito encontram-se em estado crítico, de acordo com a televisão estatal NHK.

As previsões meteorológicas apontam para uma descida da temperatura a partir de hoje, devendo a máxima atingir 35 graus centígrados no centro do país, sendo que quase todo o arquipélago se verá coberto por nebulosidade atraída pelo tufão Nangka.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras