sicnot

Perfil

Mundo

Rajoy submete ao Parlamento espanhol acordo para novo resgate à Grécia

O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, anunciou hoje que vai submeter a votação no Parlamento espanhol, ainda que a lei não o obrigue, o acordo para o novo resgate financeiro pedido pela Grécia aos parceiros europeus.

© Andrea Comas / Reuters

O anúncio de Rajoy surgiu hoje no decorrer do plenário do Congresso dos Deputados - agendado para discutir as conclusões do último Conselho Europeu -, e o chefe do Governo espanhol justificou a sua decisão com o elevado volume de recursos financeiros (incluindo para Espanha) que implica um terceiro resgate grego.

Na prática, porém, a votação sobre o terceiro resgate financeiro à Grécia poderá forçar as restantes formações, sobretudo o PSOE e o Podemos, a clarificarem, em pleno Congresso, as suas posições quanto ao terceiro resgate grego.

O partido no poder, o PP, de Rajoy, enalteceu o acordo alcançado, enquanto as formações mais à esquerda ou condenaram (Izquierda Unida) ou reagiram com aplausos ao acordo, mas críticas ao Governo pela sua posição negocial dura.

O Podemos, que desde a sua formação defende uma reestruturação da dívida pública espanhola - tal como o Syriza defende para a Grécia - deixou cair essa ideia na terça-feira, afirmando que já não a vê necessária para Espanha.

As comparações entre o Syriza e o Podemos, as políticas que defendem e a situação económica na Grécia têm sido utilizadas com frequência nas mensagens dos partidos espanhóis, especialmente do PP, que tem tentado colar o caso grego a uma eventual vitória do partido de Pablo Iglesias.

No plenário, Rajoy reiterou que a Espanha dará todo o apoio à Grécia no terceiro resgate, desde que o Governo de Alexis Tsipras cumpra com os seus compromissos.

Apenas seis países da UE têm leis que os obrigam a votar nos respetivos parlamentos o novo acordo com a Grécia (entre os quais a Alemanha, mas não a Espanha ou Portugal).

No entanto, Rajoy disse que o assunto tem de ser debatido e votado no parlamento espanhol porque implica "muitos recursos, garantidos pelos contribuintes".

Segundo os últimos cálculos do Fundo Monetário Internacional (FMI), as necessidades de financiamento da Grécia "aumentaram de forma notável", desde o referendo e do fecho dos bancos gregos, elevando-se agora a valores entre os 82 mil e os 86 mil milhões de euros.

Na resposta, o líder socialista, Pedro Sánchez, recordou ao presidente do Governo espanhol que o parlamento alemão votou o resgate dos bancos espanhois em 2011, mas que esse debate não se realizou no parlamento espanhol.

Ainda assim, Sánchez reafirmou que Alexis Tsipras se enganou nas políticas propostas, por exemplo ao realizar uma amnistia fiscal, mas sublinhou que Rajoy também aprovou uma amnistia fiscal.

"Os extremos também se tocam", acusou o líder socialista.

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.