sicnot

Perfil

Mundo

Primeira Disneylândia em Xangai abrirá na primavera

A Disneylândia de Xangai deverá abrir na próxima primavera, após quatro anos de construção e um investimento de 5.500 milhões de dólares (5.000 milhões de euros), anunciou hoje a imprensa oficial chinesa.

Vista aérea da Disneylândia de Xangai em contrução.

Vista aérea da Disneylândia de Xangai em contrução.

© China Stringer Network / Reuters

Os promotores esperam atrair dez milhões de pessoas logo no primeiro ano, disse um responsável do 'resort' de 28 quilómetros quadrados onde o parque está integrado.

Além de interagirem com personagens da "Guerra das Estrelas" ou passearem simplesmente pela Avenida Mickey, os visitantes poderão pernoitar num dos 800 quartos do Toy Story Hotel.

O pacote inclui também uma "Ilha da Aventura" e "Jardins de Imaginação".

Situada na área de Pudong, a margem oriental do rio que atravessa Xangai, a nova Disneylândia é a segunda aberta na China, depois de Hong Kong, em 2005.

Para o presidente da Disney, Robert Iger, "a abertura da Disneylândia de Xangai "será o momento mais excitante dos 41 anos que trabalhou na empresa", disse o China Daily.

Segundo o jornal, Robert Iger "provou pessoalmente todas as comidas que serão servidas nos restaurantes do parque", que terão em conta o gosto local.

"Este parque tem a Disneylândia no coração, mas será também singularmente chinês", afirmou o empresário.

Trata-se do maior investimento da Disney fora dos Estados Unidos, em parceria com um consórcio chinês, Shanghai Shendi Group, que detém 57% do capital.

Sede de um município com quase 25 milhões de habitantes, Xangai é considerada a "capital económica da China".

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.