sicnot

Perfil

Mundo

Primeira Disneylândia em Xangai abrirá na primavera

A Disneylândia de Xangai deverá abrir na próxima primavera, após quatro anos de construção e um investimento de 5.500 milhões de dólares (5.000 milhões de euros), anunciou hoje a imprensa oficial chinesa.

Vista aérea da Disneylândia de Xangai em contrução.

Vista aérea da Disneylândia de Xangai em contrução.

© China Stringer Network / Reuters

Os promotores esperam atrair dez milhões de pessoas logo no primeiro ano, disse um responsável do 'resort' de 28 quilómetros quadrados onde o parque está integrado.

Além de interagirem com personagens da "Guerra das Estrelas" ou passearem simplesmente pela Avenida Mickey, os visitantes poderão pernoitar num dos 800 quartos do Toy Story Hotel.

O pacote inclui também uma "Ilha da Aventura" e "Jardins de Imaginação".

Situada na área de Pudong, a margem oriental do rio que atravessa Xangai, a nova Disneylândia é a segunda aberta na China, depois de Hong Kong, em 2005.

Para o presidente da Disney, Robert Iger, "a abertura da Disneylândia de Xangai "será o momento mais excitante dos 41 anos que trabalhou na empresa", disse o China Daily.

Segundo o jornal, Robert Iger "provou pessoalmente todas as comidas que serão servidas nos restaurantes do parque", que terão em conta o gosto local.

"Este parque tem a Disneylândia no coração, mas será também singularmente chinês", afirmou o empresário.

Trata-se do maior investimento da Disney fora dos Estados Unidos, em parceria com um consórcio chinês, Shanghai Shendi Group, que detém 57% do capital.

Sede de um município com quase 25 milhões de habitantes, Xangai é considerada a "capital económica da China".

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.