sicnot

Perfil

Mundo

Trinta e cinco mortos em explosão de carro armadilhado no Iraque

Uma explosão de um carro armadilhado destruiu hoje o centro de Khan Bani Saad, cidade iraquiana a norte de Bagdade, causando pelo menos 35 mortos, segundo as autoridades locais e médicas.

© Khaled Abdullah Ali Al Mahdi

O ataque ocorreu numa área predominantemente xiita de Khan Bani Saad, num mercado onde, por esta altura, as pessoas fazem as suas compras para o feriado Eid al-Fitr, que assinala o final do Ramadão.

Mohammed Jawad al-Hamadani, membro do conselho da província de Diyala, onde Khan Bani Saad está localizada, indicou que há "35 mortos e mais de 70 feridos", entre os quais muitas mulheres e crianças.

O grupo autointitulado Estado Islâmico já veio reivindicar, em vários fóruns jihadistas, a autoria do atentado.

"O nosso irmão Abu Ruqayya al-Ansari avançou com o carro carregado com quase três toneladas de explosivos no meio de uma reunião de milícias Rafidha", adiantaram membros do grupo radical.

Rafidha é um termo usado para designar os muçulmanos xiitas.

O governador de Diyala, Muthanna al-Tamimi, declarou três dias de luto em toda a região e foram canceladas as festividades Eid al-Fitr.

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05