sicnot

Perfil

Mundo

Jovem que matou quatro fuzileiros nos EUA trabalhou numa central nuclear

O atirador solitário que matou, na quinta-feira, quatro militares nos EUA, antes de ser abatido, trabalhou por um curto período de tempo, numa central nuclear no Ohio em 2013, disse uma porta-voz à agência AFP.

John Bazemore

Mohammad Yussuf Abdulazeez trabalhou como engenheiro na central de energia nuclear Perry, na costa do Lago Erie, entre 20 e 30 de maio de 2013, indicou o operador FirstEnergy.

Em declarações à agência AFP, a porta-voz da empresa Stephanie Walton indicou que o jovem identificado como o autor dos disparos "nunca teve acesso sem escolta nem entrou na área de segurança da central".

"Abdulazeez foi dispensado porque se determinou que não cumpria os requisitos mínimos para o emprego", disse, explicando a curta passagem do jovem de 24 anos pela central.

Nascido no Kuwait e naturalizado norte-americano apenas tinha acesso a um edifício administrativo para receber formação geral, referiu.

Segundo a porta-voz, os funcionários da Perry notificaram a administração da central quando reconheceram Abdulazeez nas imagens divulgadas pelos órgãos de comunicação social relativas ao tiroteio.

A administração da central nuclear contactou então a Comissão Reguladora e outros departamentos governamentais, estando a cooperar na aplicação da lei, acrescentou.

Uma das maiores centrais do seu tipo nos Estados Unidos, a Perry emprega cerca de 720 trabalhadores no complexo de 445 hectares.

Na manhã de quinta-feira, Abdulazeez atacou primeiro um gabinete de recrutamento dos 'marines', antes de se dirigir para um centro de reservistas, em Chattanooga, no estado do Tennessee.

Entre os quatro fuzileiros mortos inclui-se o sargento Thomas Sullivan, que participou em duas missões no Iraque, onde foi ferido.

O ataque fez ainda três feridos, um instrutor, outro militar e um polícia.

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".