sicnot

Perfil

Mundo

China deporta 20 turistas por verem vídeo "de instigação ao terrorismo"

A China deportou 20 turistas do Reino Unido, Índia e África do Sul que tinham sido detidos na Mongólia Interior por supostamente terem visualizado "um vídeo de instigação ao terrorismo e ao extremismo religioso", confirmaram as autoridades.

© Kim Kyung Hoon / Reuters

A imprensa oficial chinesa publica hoje que os turistas foram libertados, sem acusação, depois de uma semana num centro de detenção, e devolvidos aos respetivos países de origem.

Segundo a polícia, os estrangeiros, numa viagem de 47 dias organizada por uma operadora turística chinesa, viram um documentário nos seus quartos de hotel e depois de alguns terem ido embora o resto "começou a ver vídeos de instigação ao terrorismo".

As autoridades asseguraram que a polícia encontrou vídeos idênticos num telemóvel de um dos turistas. Em causa, o sul-africano Hoosain Ismail Jacobs.

Um comunicado publicado pela família Jacobs oferece outra versão, assinalando que as detenções ocorreram "por um infeliz mal-entendido".

Diz a nota que o grupo viu um documentário de Genghis Khan "para aumentar os seus conhecimentos sobre a região em que se encontravam -- Mongólia Interior -- e isso pode ser entendido de forma errónea como material de propaganda".

"Apenas se pode perceber que foram os funcionários com pouca experiência que levaram a cabo a detenção inicial, os quais cometeram um erro devido, quiçá, ao seu desconhecimento de inglês. A família Jacobs agradece às autoridades de alto nível de Pequim a sua forma de resolver o desafortunado erro", refere o mesmo comunicado, em que se recorda que nenhum membro do grupo tem antecedentes criminais.

As detenções foram feitas no aeroporto de Ordos, em 10 de julho, pouco antes de o grupo embarcar num avião a caminho do destino seguinte, Xian.

O grupo, composto por nove britânicos, dez sul-africanos e um indiano, de religião muçulmana, cristã e hindu, começou a viagem em Hong Kong e tinha previsto terminá-la em Xangai.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.