sicnot

Perfil

Mundo

Robô Philae está "em silêncio" há 11 dias

O robô europeu Philae, pousado na superfície de um cometa, está em silêncio há 11 dias, anunciaram hoje os controladores, que receiam que o aparelho se tenha deslocado da zona de contacto via rádio.

"A sonda poderá ter-se movido", refere em comunicado o Centro Aeroespacial Alemão (DLR na sigla alemã), acrescentando que "mesmo uma ligeira mudança na sua posição poderá significar que as antenas tenham ficado obstruídas".

Pode ler-se ainda no comunicado que também é possível que uma das duas unidades de receção de rádio da sonda esteja danificada e que uma das unidades de transmissão não esteja totalmente funcional.

O robô Philae, que pousou na superfície do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko em 12 de novembro do ano passado, entrou em hibernação três dias depois e acordou novamente em 13 de junho passado, estabelecendo comunicações intermitentes com a Terra através da sua nave-mãe em órbita Rosetta.

A sonda, do tamanho de uma máquina de lavar roupa, comunicou por oito vezes com a Terra, a última em 09 de julho.

No entanto, desde essa altura que "a sonda robô voltou ao 'modo silencioso'", salienta-se no comunicado.

A partir de alguns dos dados recebidos a equipa tem "observado sinais de que o módulo Philae poderá ter-se movimentado", disse o líder do projeto, Stephan Ulamec, acrescentando que "provavelmente as suas antenas encontram-se mais escondidas ou talvez a sua orientação tenha mudado".

A sonda Rosetta foi lançada em março de 2004, e está a orbitar o cometa 67/P desde o ano passado. O módulo de aterragem Philae possui instrumentos a bordo que incluem dois sofisticados medidores magnéticos

Em novembro de 2014, a 500 milhões de quilómetros da Terra e após uma viagem de 10 anos, o Philae tornou-se o primeiro objeto de fabrico humano a pousar num cometa.

Lusa

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05