sicnot

Perfil

Mundo

Mariano Rajoy garante que a Catalunha nunca será independente

O chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, afirmou hoje que a Catalunha "nunca será independente", garantindo que está pronto a responder a qualquer problema causado pelos que procuram separar esta região autónoma de Espanha.

© Susana Vera / Reuters

"Na eventualidade de alguém fazer declarações unilaterais [de independência] sobre assuntos que violam a lei, isso será um ataque frontal (...)", preveniu Rajoy, durante uma conferência de imprensa em Madrid, na que foi a sua referência mais direta ao processo que os independentistas catalães querem lançar.

Os apoiantes de uma separação, do resto de Espanha, desta região rica, com 7,5 milhões de habitantes, uniram-se para apresentar uma lista às eleições regionais de 27 de setembro.

O seu único programa vai ser a realização de um roteiro para a concretização da independência em 18 meses, em caso de vitória nas eleições.

Na segunda-feira, Raul Romeva, antigo deputado europeu e cabeça de lista da coligação independentista, que junta designadamente o presidente conservador catalão Artur Mas e o dirigente do partido de esquerda independentista ERC (Esquerda Republicana pela Catalunha) Oriol Junqueras, afirmou: "Se no processo o Estado espanhol, através de decisões jurídicas ou políticas, bloquear o 'autogoverno' da Catalunha, do governo ou do parlamento catalão, avançaremos com uma declaração de independência".

"Isso seria um ataque frontal às normas de coabitação sem precedente nos países democráticos civilizados", disse hoje Rajoy.

"O Governo não o vai permitir. O Governo está pronto para responder a qualquer problema que seja gerado", insistiu.

"Que os catalães estejam tranquilos (...) a soberania nacional não será quebrada. Que estejam tranquilos, porque não vai haver independência da Catalunha", acrescentou.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.