sicnot

Perfil

Mundo

Mariano Rajoy garante que a Catalunha nunca será independente

O chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, afirmou hoje que a Catalunha "nunca será independente", garantindo que está pronto a responder a qualquer problema causado pelos que procuram separar esta região autónoma de Espanha.

© Susana Vera / Reuters

"Na eventualidade de alguém fazer declarações unilaterais [de independência] sobre assuntos que violam a lei, isso será um ataque frontal (...)", preveniu Rajoy, durante uma conferência de imprensa em Madrid, na que foi a sua referência mais direta ao processo que os independentistas catalães querem lançar.

Os apoiantes de uma separação, do resto de Espanha, desta região rica, com 7,5 milhões de habitantes, uniram-se para apresentar uma lista às eleições regionais de 27 de setembro.

O seu único programa vai ser a realização de um roteiro para a concretização da independência em 18 meses, em caso de vitória nas eleições.

Na segunda-feira, Raul Romeva, antigo deputado europeu e cabeça de lista da coligação independentista, que junta designadamente o presidente conservador catalão Artur Mas e o dirigente do partido de esquerda independentista ERC (Esquerda Republicana pela Catalunha) Oriol Junqueras, afirmou: "Se no processo o Estado espanhol, através de decisões jurídicas ou políticas, bloquear o 'autogoverno' da Catalunha, do governo ou do parlamento catalão, avançaremos com uma declaração de independência".

"Isso seria um ataque frontal às normas de coabitação sem precedente nos países democráticos civilizados", disse hoje Rajoy.

"O Governo não o vai permitir. O Governo está pronto para responder a qualquer problema que seja gerado", insistiu.

"Que os catalães estejam tranquilos (...) a soberania nacional não será quebrada. Que estejam tranquilos, porque não vai haver independência da Catalunha", acrescentou.

Lusa

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.