sicnot

Perfil

Mundo

Conselho de Segurança da ONU condena atentado na Turquia

O Conselho de Segurança (CS) da ONU condenou esta quarta-feira "nos termos mais veementes" o ataque suicida de segunda-feira na Turquia, que matou 32 pessoas e atribuído ao grupo Estado Islâmico (EI).

O atentado de Suruç provocou 32 mortos e cerca de 100 feridos.

O atentado de Suruç provocou 32 mortos e cerca de 100 feridos.

© Stringer Turkey / Reuters

Através de uma declaração unânime, os 15 membros do CS "sublinharam a necessidade de fazer comparecer perante a justiça os autores destes inaceitáveis atos de terrorismo", numa referência ao atentado cometido na segunda-feira em Suruç, sul da Turquia.

O texto também manifesta a necessidade em combater "por todos os meios" a ameaça à paz internacional e à segurança provocada pelos atos de terrorismo, designados como "criminosos e injustificáveis, independentemente da sua motivação, e por quem quer que sejam cometidos".

O atentado de Suruç provocou 32 mortos e cerca de 100 feridos. O seu autor fez-se explodir nos jardins do centro cultural desta pequena localidade próxima da fronteira com a Síria.

A polícia identificou-o como um turco de 20 anos, e o Governo tinha prevista uma reunião para hoje destinada a reforçar a segurança na fronteira com a Síria.

Este atentado foi o mais grave cometido na Turquia desde 2013, e caso a sua autoria seja confirmada constituirá o primeiro ataque suicida efetuado pelo EI em território turco.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.