sicnot

Perfil

Mundo

Eurotunnel pede indeminização aos governos francês e britânico

O grupo Eurotunnel pediu hoje uma indeminização de 9,7 milhões de euros aos governos francês e britânico para compensar as despesas e perdas operacionais com migrantes que tentam alcançar a Grã-Bretanha através do túnel da Mancha.

© Vincent Kessler / Reuters

"No primeiro semestre, já foram comprometidos 13.000.000 de euros em despesas de segurança, equivalente ao total gasto em 2014", anunciou hoje o grupo, sublinhando que a legislação prevê que uma parte dessas despesas seja apoiada pelos Estados que admitiram a exploração do túnel.

A Eurotunnel revelou que "o Governo britânico já se comprometeu a pagar 4,7 milhões de euros em 2015".

A empresa anunciou que continua a garantir de uma forma intermitente a proteção do túnel e a controlar a passagem de migrantes para a Grã-Bretanha, explicando que "o número de migrantes intercetados pelas forças britânicas pode ser contados pelos dedos de uma mão".

"O essencial é intercetado na França e isso tem um custo", concluiu o CEO da Eurotunnel, Jacques Gounon, durante a apresentação dos resultados provisórios do Grupo.

A empresa explicou, na mesma apresentação, que, dos 9,7 milhões de euros reivindicados, cerca de dois terços correspondem a despesas extra, como novas barreiras que impedem os migrantes ou camiões de entrar no túnel, e o restante diz respeito a uma perda operacional.

O grupo acredita que o número de migrantes em Calais, no norte da França, é amplamente subestimado e, consequentemente, a quantidade das forças de segurança é insuficiente.

"Acho que o ministro do Interior disse recentemente que havia dois mil migrantes na floresta em Calais e todas as pessoas locais sabem que há cinco mil", afirmou Jacques Gounon.

A Eurotunnel já tinha feito um pedido nesse sentido no início d o ano 2000 por um número de migrantes menor do que o atual. Nessa altura, a empresa foi bem sucedida e o Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia tinha estimado um prejuízo de 24 milhões de euros.

Lusa

  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos únicos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.

  • Tiroteio em Espanha causa três mortos

    Mundo

    Um tiroteio na cidade espanhola de Teruel, na região de Aragão, fez esta quinta-feira três mortos, entre os quais dois elementos da Guardia Civil. O atirador está em fuga.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • Os Simpsons já sabiam em 1998 que a Fox iria pertencer à Disney

    Cultura

    Os Simpsons acertaram outra vez. Algo que tem acontecido regularmente nos últimos tempos, com a eleição de Donald Trump, o aparecimento do vírus Ébola ou o escândalo dos Panama Papers. Desta vez, a previsão remonta a 1998, quando a série previu que a 20th Century Fox iria pertencer à Disney.

    SIC