sicnot

Perfil

Mundo

Polícia italiana confisca 2 mil milhões de euros em bens a grupo mafioso

A polícia italiana confiscou hoje bens avaliados em cerca de dois mil milhões de euros, pertencentes a um grupo mafioso da Calábria que operava no setor dos jogos e de apostas, indicaram em comunicado responsáveis policiais.

© Erik de Castro / Reuters

Entre os bens confiscados, incluem-se 1.500 salas de apostas e ainda perto de 60 sociedades, incluindo 11 que operavam no estrangeiro.

O procurador de Reggio Calabria (sul) emitiu igualmente 28 mandados de captura contra os principais responsáveis e impôs a outros 23 suspeitos diversas medidas, incluindo a prisão domiciliária ou a obrigação de se apresentarem à polícia, revelou a mesma fonte.

De acordo com o comunicado, todos estes suspeitos identificados com a Ndrangheta, a máfia calabresa, "exerceram de forma abusiva, com a ajuda de sociedades maltesas, a sua atividade no domínio dos jogos e apostas em todo o território nacional, lavando importantes quantidades de dinheiro de origem ilegal", precisa o comunicado.

"Contornaram as leis que regem o setor, realizando importantes lucros que foram de seguida reinvestidos na aquisição de novas sociedades e licenças para alargar ainda mais as suas atividades", acrescenta o comunicado.

O grupo "que controla sociedades na Áustria, Espanha e na Roménia, com uma sede estável em Malta, tinha igualmente operado no passado com licenças das Antilhas holandesas, do Panamá e da Roménia", segundo a mesma fonte.

Entre as 11 sociedades estrangeiras, seis são maltesas, duas romenas, duas outras espanholas e uma é austríaca.

"Foi um golpe muito forte desferido na 'Ndrangheta", felicitou-se o ministro do Interior, Angelino Alfano.

Há duas semanas, as autoridades italianas confiscaram bens num valor de 1,6 mil milhões de euros e que pertenciam a uma família mafiosa siciliana suspeita de pretender desviar a atenção do seu próprio império ao promover um combate contra a corrupção.

Segundo a direção antimáfia (DIA) de Palermo, trata-se de "uma das maiores apreensões jamais efetuadas", num total de 33 empresas, essencialmente no setor do cimento, centenas de casas, mansões e imóveis, 80 contas bancárias ou mais de 40 veículos.

Lusa

  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.