sicnot

Perfil

Mundo

Jovem português desaparecido em Inglaterra terá sido encontrado morto

Terá sido encontrado morto o português de 29 anos que estava desaparecido há mais de uma semana no sul Inglaterra. Um corpo foi encontrado junto a uma estação de comboios em Brighton, onde Diogo Moreira vivia e trabalhava.

NOTA DA REDAÇÃO: o título e artigo foram atualizados, uma vez que não há ainda confirmação oficial de que o corpo encontrado seja o de Diogo Moreira. O post no Facebook onde a família dava a notícia foi entretanto removido.

A polícia ainda não avançou a identidade do corpo, mas foi a própria família de Diogo Moreira que confirmou, numa mensagem no Facebook, que "o seu corpo foi encontrado ontem em Brighton".

Diogo Moreira, de 29 anos, é natural de Espinho e vivia no Reino Unido há cerca de seis anos, tendo começado por viver em Cardiff, no País de Gales. Há cerca de três anos mudou-se para Brighton, onde começou a trabalhar num bar. Desde o ano passado estudava Geologia e Ciência Ambiental na universidade da cidade.

Não era visto desde 14 de julho, embora o desaparecimento só tenha sido denunciado às autoridades dois dias depois por um amigo.

A família já estava no Reino Unido a acompanhar as buscas da polícia britânica.

A mensagem no Facebook acrescentava que "um memorial será feito na próxima semana para celebrar a vida desta pessoa fantástica".

  • Encontrado em Brighton corpo que pode ser do português desaparecido
    0:57

    País

    Foi encontrado um corpo que poderá ser o do português Diogo Moreira , de 29 anos, desaparecido no Reino Unido. Estava junto a uma estação de comboios em Brighton, no sul de Inglaterra, precisamente onde Diogo Moreira vivia e trabalhava. As autoridades ainda não avançaram com uma confirmação oficial sobre a identidade do cadáver.

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".

  • O regresso a casa depois do incêndio no Sardoal
    2:43
  • Cerca de 20 mil portugueses vivem em Barcelona
    1:44